Cúpula do PSL é avisada de que Bolsonaro quer sair do partido, diz jornal | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 09.10.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Brasil

Cúpula do PSL é avisada de que Bolsonaro quer sair do partido, diz jornal

Insatisfação do presidente com legenda chegou ao ápice após fala do chefe da sigla, Luciano Bivar, de que Bolsonaro "já está afastado". Segundo a "Folha", pessoas próximas ao governante disseram que decisão está tomada.

Presidente Jair Bolsonaro

Bolsonaro já teria tomado a decisão de deixar o PSL

Membros da cúpula do PSL foram informados nesta quarta-feira (09/10) de que o presidente Jair Bolsonaro está decidido a sair do partido, informa a Folha de S. Paulo.

Segundo o jornal, pessoas próximas ao presidente disseram a integrantes do PSL que a decisão já estava tomada e que esta ficou mais difícil de ser contornada após a declaração do presidente da sigla, Luciano Bivar, ao blog da Andréia Sadi, no G1, de que Bolsonaro "já está afastado" da legenda.

Na entrevista, o comandante da sigla reagiu a uma declaração do presidente nesta terça, que disse a um apoiador, na saída do Palácio da Alvorada: "Esqueça o PSL”.

Com a declaração, Bolsonaro tornou pública sua insatisfação com a sigla com que se elegeu presidente.

Na ocasião, o presidente cochichou a recomendação a um jovem que se apresentou a ele como pré-candidato pelo partido no Recife, terra de Bivar. O rapaz gravou um vídeo abraçado a Bolsonaro, dizendo "Eu, Bolsonaro e Bivar juntos por um novo Recife”. Logo em seguida, Bolsonaro pediu que ele não divulgasse a gravação, afirmando que "Bivar está queimado para caramba lá. Vai queimar o meu filme também. Esquece esse cara, esquece o partido”. Em seguida, o rapaz fez uma nova gravação: "Viva o Recife, eu e Bolsonaro”.

“A fala dele (Bolsonaro) foi terminal, ele já está afastado. Não disse para esquecer o partido? Está esquecido”, comentou Bivar, assegurando que uma eventual saída de Bolsonaro "não muda nada" na relação do partido com o governo. "Seguiremos apoiando medidas fundamentais", acrescentou. "Ele pode levar tudo do partido, só não pode levar a dignidade, o sentimento liberal que temos e o compromisso com o combate à corrupção."

MD/ots

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube
App | Instagram | Newsletter

 

Leia mais