1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Pedestres caminham com máscaras no centro de São Paulo
Foto: Fabio Vieira/ZUMA Wire/Imago Images

Brasil tem 514 mortes por covid-19 em 24 horas

27 de novembro de 2020

País registra ainda mais de 34 mil novos casos de coronavírus, elevando total para 6,23 milhões, enquanto mais de 171,9 mil pessoas morreram em decorrência da doença.

https://www.dw.com/pt-br/brasil-tem-514-mortes-por-covid-19-em-24-horas/a-55755749

O Brasil registrou oficialmente 514 mortes ligadas à covid-19 e 34.130 casos confirmados da doença nas últimas 24 horas, segundo dados divulgados nesta sexta-feira (27/11) pelo Conselho Nacional de Secretários da Saúde (Conass). O balanço, porém, não contém os dados de Goiás e Rondônia devido a problemas técnicos.

Com o novo número, o total de infectados no país vai a 6.238.350, enquanto o total de óbitos chega a 171.974. Ao todo, 5.528.599 pacientes se recuperaram da doença, segundo dados desta quinta-feira do Ministério da Saúde. O Conass não divulga número de recuperados.

Diversas autoridades e instituições de saúde alertam, contudo, que os números reais de casos e mortes devem ser ainda maiores, em razão da falta de testagem em larga escala e da subnotificação.

São Paulo é o estado brasileiro mais atingido pela epidemia, com 1.233.587 casos e 41.902 mortes. O total de infectados no território paulista supera os registrados na maioria dos países do mundo, exceto Estados Unidos, Índia, França, Rússia, Espanha, Reino Unido, Itália, Argentina e Colômbia.

Minas Gerais é o segundo estado com maior número de casos, somando 409.731, seguido de Bahia (394.300), Rio de Janeiro (347.348), Santa Catarina (346.427) e Rio Grande do Sul (311.123).

Já em número de mortos, o Rio é o segundo estado com mais vítimas, somando 22.448 óbitos. Em seguida vêm Minas Gerais (9.948), Ceará (9.568), Pernambuco (8.999) e Bahia (8.207).

A taxa de mortalidade por grupo de 100 mil habitantes subiu para 81,8 no Brasil, uma das mais altas do mundo – só fica abaixo dos índices registrados na Bélgica (142), Peru (111,55), Espanha (94,97), Itália (87,45), Reino Unido (85,92), Argentina (85,27) e México (82,61), desconsiderando os países nanicos San Marino e Andorra.

A cifra brasileira também supera a dos EUA (80,15), nação mais atingida pela pandemia no planeta.

Já a taxa de contágio do coronavírus para esta semana no país é a maior desde maio, segundo dados do Imperial College de Londres, no Reino Unido, divulgados na terça-feira. A estimativa da instituição põe o índice em 1,30 – ou seja, cada 100 pessoas contaminadas transmitem o vírus para outras 130, em média.

Em números absolutos, o Brasil é o terceiro país do mundo com mais infecções, atrás apenas dos Estados Unidos, que somam mais de 13 milhões de casos, e da Índia, com 9,3 milhões. Mas é o segundo em número de mortos, depois dos EUA, onde morreram mais de 264 mil pessoas.

A Índia, que chegou a impor uma das maiores quarentenas do mundo no início da pandemia e depois flexibilizou as restrições, é a terceira nação com mais mortos, somando 135 mil.

Ao todo, mais de 61,4 milhões de pessoas já contraíram o coronavírus no mundo, e 1,4 milhão de pacientes morreram em decorrência da doença.

CN/ots