1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Brasilien | Coronavirus | Ambulanz in Brasilia
Sistemas de saúde de vários estados estão em colapsoFoto: Eraldo Peres/AP Photo/picture alliance

Brasil tem 2.841 mortes e bate novo recorde diário

16 de março de 2021

Nesta terça-feira, país registrou mais de 83 mil novos casos de coronavírus. Total de mortes no país supera 282 mil.

https://www.dw.com/pt-br/brasil-tem-2841-mortes-por-covid-19-e-bate-novo-recorde-di%C3%A1rio/a-56893460

O Brasil registrou nesta terça-feira (16/03) um novo recorde de mortes diárias por covid-19 desde o começo da pandemia. Em apenas 24 horas, foram registrados oficialmente 2.841 óbitos ligados à doença, segundo dados do Ministério da Saúde.

Mais cedo, o Conselho Nacional de Secretários da Saúde (Conass), havia divulgado 2.340 mortes nesta terça-feira, mas, por problemas técnicos, o número não incluía os dados do Rio Grande do Sul. 

Com isso, o total de mortes no país associadas à doença chega a 282.127. Diversas autoridades e instituições de saúde alertam, contudo, que os números reais devem ser ainda maiores, em razão da falta de testagem em larga escala e da subnotificação. O país vive um novo momento de aceleração da doença, com registro de colapso da rede de saúde pública em vários estados. 

Ainda nesta terça-feira, foram identificados 83.926 novos casos de coronavírus, elevando o total oficial para 11.603.535. Segundo o Ministério da Saúde, 10.204.541 pacientes já se recuperaram.

A taxa de mortalidade por grupo de 100 mil habitantes subiu para 134,3 no Brasil, a 20ª mais alta do mundo, quando desconsiderados os países nanicos San Marino, Liechtenstein e Andorra.

O estado de São Paulo também registrou nesta terça-feira recorde de mortes. Em 24 horas, foram 679 óbitos, o equivalente a uma morte a cada dois minutos.

O número resume a gravidade da pandemia no Brasil atualmente: em 20 de agosto do ano passado, o país inteiro registrou o mesmo número de mortes diárias que apenas o estado de São Paulo confirmou nesta terça.

O secretário-executivo do Centro de Contingência para o coronavírus do governo paulista, João Gabbardo, afirmou que hospitais privados na capital paulista estão solicitando leitos do SUS para internar pacientes com convênio médico. Ele também pediu que o novo ministro da saúde, Marcelo Queiroga, não descarte um lockdown nacional. 

Em números absolutos, o Brasil é o segundo país do mundo com mais infecções e mortes, atrás apenas dos Estados Unidos, que somam mais de 29,5 milhões de casos e mais de 536 mil óbitos.

Ao todo, mais de 120,5 milhões de pessoas já contraíram oficialmente o coronavírus no mundo, e 2,66 milhões de pacientes morreram.

le (ots)