Brasil também pedala em bicicletas de bambu | Programa de ciência, meio ambiente e tecnologia da DW Brasil | DW | 24.11.2012
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Futurando!

Brasil também pedala em bicicletas de bambu

Designer pesquisa técnicas de construção desde 1995, e garante que modelos de material sustentável podem durar tanto quanto ou até mais do que as bicicletas de metal.

O Futurando desta semana mostrou uma alternativa de transporte nas ruas de Acra, Gana: uma bicicleta feita de bambu. Por lá, a produção de cada peça é individual, mas no Brasil, as bicicletas estão sendo montadas em série. O designer brasileiro Flavio Deslandes, radicado há dez anos na Dinamarca, deu consultoria a um projeto de São Paulo. Ele faz bicicletas de bambu desde 1995 e está acompanhando a construção de 5 mil unidades para estudantes da rede pública.

Mas a ideia não é exatamente nova: Deslandes encontrou referências a modelos construídos com o material já no final do século 19. Em sua avaliação, o acesso e o manuseio dos metais relegou as bicicletas de bambu a um segundo plano, e só a atual busca por soluções mais sustentáveis e fontes renováveis de materiais é que promoveu o resgate da técnica.

Bambu é matéria prima renonável e de baixo custo

Bambu é matéria prima renonável e de baixo custo

A experiência de Deslandes começou ainda na universidade e nunca mais parou. Os modelos foram se aprimorando, e hoje ele vende as peças na Europa. "Faço por demanda na Dinamarca, entrego a bicicleta pronta. No Brasil, vendo os quadros e acompanho esse projeto de São Paulo, que está produzindo milhares de bicicletas para estudantes."

O custo final da bicicleta depende da escala de produção. Deslandes explica que a unidade manufaturada é mais cara do que uma bicicleta comum. "O que encarece é a mão-de-obra, por ser um processo artesanal". Mas o material, em si, tem baixo custo: o bambu representa cerca de 5% do valor do material gasto em cada unidade. O designer acredita que o custo final da bicicleta deve cair com o aperfeiçoamento das técnicas de construção.

Estabilidade e segurança

O segredo para construir uma bicicleta de bambu resistente e durável, conta Deslandes, está no tratamento da matéria prima. O bambu é colhido em diferentes espessuras, e precisa de ajustes e de tratamentos para se tornar mais resistente. Juntar as peças é outro desafio técnico. "As ligações têm que ter uma solução técnica que contribua para a resistência do bambu", explica. Pregos e parafusos, por exemplo, enfraquecem o material.

Por isso, ele desaconselha tentativas de construir bicicletas de bambu sem amparo técnico. “Bicicleta requer precisão. Vejo pessoas que fizeram em casa e quebrou.” Para ele, ter orientação é o mais importante e, da maneira certa, a bicicleta pode ser tão ou mais durável do que uma similar de metal.

Autora: Ivana Ebel
Revisão: Augusto Valente

ADVERTISEMENT
default

DW Brasil no Twitter

Nossos 140 caracteres dizem tudo o que você precisa saber