Brasil supera recorde e registra 3.650 mortes por covid-19 em 24 horas | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 26.03.2021

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Coronavírus

Brasil supera recorde e registra 3.650 mortes por covid-19 em 24 horas

País quebra segundo recorde em quatro dias e já acumula mais de 307 mil vítimas da doença, além de 12,4 milhões de pessoas infectadas desde o início da epidemia. Taxa de mortalidade por 100 mil habitantes chega a 146,1.

Total de vítimas da doença no Brasil supera 307 mil. Funcionarios da saúde desinfetam calçadas no morro Dona Marta, no Rio de Janeiro

Total de vítimas da doença no Brasil supera 307 mil

O Brasil bateu pela segunda vez em uma semana um novo recorde de mortes diárias por covid-19. Em apenas 24 horas, foram registrados oficialmente nesta sexta-feira (26/03) 3.650 óbitos ligados à doença, segundo dados do Conselho Nacional de Secretários da Saúde (Conass).

O recorde anterior havia sido registrado na última terça-feira (23), com 3.251 vidas perdidas em 24 horas.Com o novo balanço, o total de vítimas da doença no Brasil é de 307.112.

Também foram identificados 84.245 novas infecções, de acordo com o Conass. Com isso, o total de casos identificados no país subiu para 12.404.414. Diversas autoridades e instituições de saúde alertam, contudo, que os números reais devem ser ainda maiores, em razão da falta de testagem em larga escala e da subnotificação.

O Conass não divulga número de recuperados. Segundo o Ministério da Saúde, 10.772.549 pacientes se recuperaram da doença até esta quinta-feira.

O estado de São Paulo, o mais afetado pela epidemia no Brasil, registrou um novo recorde de mortes em 24 horas, com 1.193, segundo o consórcio dos veículos de imprensa. O estado superou a marca de 70 mil óbitos (70.696) e acumula 2.392.374 infecções por coronavírus.

A taxa de mortalidade por grupo de 100 mil habitantes subiu para 146,1 no Brasil, a 18ª mais alta do mundo, quando desconsiderados os países nanicos San Marino, Liechtenstein e Andorra, segundo levantamento da Universidade Johns Hopkins.

Em números absolutos, o Brasil é o segundo país do mundo com mais infecções, atrás apenas dos Estados Unidos, que somam mais de 30,1 milhões de casos. É também o segundo em número absoluto de mortos, já que mais de 547 mil pessoas morreram nos EUA.

Ao todo, mais de 125,8 milhões de pessoas já contraíram oficialmente o coronavírus no mundo, e 2,76 milhões de pacientes morreram em decorrência da doença.

rc/ (ots)

Leia mais