Brasil anuncia envio de ajuda humanitária à Venezuela | Notícias sobre a América Latina e as relações bilaterais | DW | 20.02.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

América Latina

Brasil anuncia envio de ajuda humanitária à Venezuela

Governo disponibilizará alimentos e medicamentos para venezuelanos a partir da fronteira com o país. Iniciativa será realizada em parceria com os Estados Unidos. Venezuela enfrenta grave crise econômica.

Família venezuelana pede ajuda na fronteira com o Brasil

Família venezuelana pede ajuda na fronteira com o Brasil

O Planalto anunciou nesta terça-feira (19/02) que disponibilizará alimentos e medicamentos aos venezuelanos, atendendo a um pedido do autoproclamado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó. A ajuda humanitária será levada às cidades de Boa Vista e Pacaraima, em Roraima, de onde será buscada por caminhões venezuelanos.

"A ideia inicial é a aproximação logística de Pacaraima. E aguardar nessas regiões a chegada dos caminhões conduzidos por venezuelanos direcionados pelo presidente encarregado, Guaidó", afirmou o porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros.

Além da Presidência, a Casa Civil e os ministérios da Defesa, Agricultura, Cidadania, Saúde, Relações Exteriores e o Gabinete de Segurança Institucional estão envolvidos na ação.

"O Brasil se junta assim a esta importante iniciativa internacional de apoio ao governo de Guaidó e ao povo venezuelano", destacou o Itamaraty, em nota.

Os alimentos e medicamentos organizados pelo governo brasileiro serão disponibilizados aos venezuelanos em 23 de fevereiro, quando estão marcadas novas manifestações na Venezuela convocadas por Guaidó para apoiar os voluntários dispostos a auxiliar na entrada da ajuda humanitária no país. Segundo o líder opositor, 600 mil pessoas inscreveram-se para participar da ação.

A operação no Brasil está sendo organizada em cooperação com o governo dos Estados Unidos. Washington já enviou à Colômbia toneladas de ajuda humanitária destinada a venezuelanos. A entrada destes itens na Venezuela, porém, foi bloqueada pelo governo em Caracas.

Com a iniciativa popular, a oposição espera que as Forças Armadas venezuelanas desobedeçam às ordens de Maduro para bloquear a entrada da ajuda humanitária. Essa desobediência seria um sinal do enfraquecimento do governo oficial.

A Venezuela vive grande instabilidade política desde 10 de janeiro passado, quando Nicolás Maduro tomou posse após eleições que não foram reconhecidas como legítimas pela maioria da comunidade internacional.

A crise política agravou-se em 23 de janeiro, quando o líder da Assembleia Nacional, Juan Guaidó, se autoproclamou presidente interino e declarou assumir os poderes executivos de Maduro.

Guaidó, de 35 anos, contou de imediato com o apoio dos Estados Unidos e prometeu formar um governo de transição e organizar eleições livres. Diversos países reconheceram o líder opositor, inclusive o Brasil. Maduro, de 56 anos, no poder desde 2013, denunciou a iniciativa como uma tentativa de golpe de Estado liderada por Washington.

Essa crise política soma-se a uma grave crise econômica e social, que levou 2,3 milhões de pessoas a fugirem do país desde 2015, segundo dados das Nações Unidas.

CN/abr/rtr/afp/ots

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 

WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados