1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Barcos e destroços  no local de acidente no Lago de Furnas, em Minas Gerais
Equipe dos bombeiros é apoiada no local por militares e mergulhadores especializadosFoto: Minas Gerais Fire Department/AFP
CatástrofeBrasil

Bombeiros mantêm buscas após desabamento em Minas Gerais

10 de janeiro de 2022

Autoridades confirmam contagem final de dez mortes em desastre no Lago de Furnas. Equipes permanecem no local na busca por mais fragmentos de corpos.

https://www.dw.com/pt-br/bombeiros-mant%C3%AAm-buscas-ap%C3%B3s-desabamento-em-minas-gerais/a-60371862

As buscas no Lago de Furnas, em Capitólio (MG), continuarão pelos próximos dias, anunciou neste domingo (09/01) a Defesa Civil de Minas Gerais. Segundo o órgão, os trabalhos prosseguirão porque, embora todos os dez mortos tenham sido resgatados, algumas vítimas tiveram somente alguns fragmentos recuperados, tal foi a violência do impacto do desabamento do paredão de rochas.

"A princípio, o número final é de dez mortos. Por que a gente permanece com essas operações em Capitólio? Porque por mais que nós já tenhamos recuperado esses dez corpos, devido ao impacto, a violência dessa colisão da rocha com algumas das vítimas, nem todos os corpos eles foram recuperados de forma íntegra. Então, infelizmente, alguns corpos foram segmentados com o impacto da rocha", disse à rede CNN o porta-voz e tenente do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, Pedro Aihara.

Além disso, a polícia aguarda possíveis comunicações de novos desaparecimentos, no caso de eventuais turistas que estavam sozinhos. "Pode ser que uma pessoa ou um casal estivesse caminhando e tenha caído uma pedra. Até o momento, nenhum dos órgãos recebeu informação de outros desaparecidos. Nós estamos iniciando e não temos pressa de terminar os trabalhos", disse o delegado Marcos Pimenta, da Polícia Civil mineira.

Segundo Pimenta, até agora foram identificados apenas dois corpos, um formalmente, com base nas impressões digitais, e outro com base em reconhecimento precário de parentes, que ainda requer comparação com material genético. O impacto da rocha, informou o delegado, está dificultando os trabalhos de reconhecimento.

De acordo com os Bombeiros, mais de 30 pessoas ficaram feridas. Pelo menos quatro barcos foram atingidos.

.

O acidente ocorreu cerca das 11h no Lago Furnas, quando um grande bloco de pedra caiu de uma altura de cinco metros sobre embarcações que levavam turistas em um passeio. 

A chuva intensa que caiu nos últimos dias na região provavelmente contribuiu para o acidente, de acordo com os bombeiros.

Investigação

A Marinha auxilia o Corpo de Bombeiros com equipes de Busca e Salvamento (SAR).

A Marinha também deve investigar se os barcos de passeio poderiam estar no local, considerando as condições climáticas e os alertas meteorológicos. Pela manhã, horas antes do acidente, a Defesa Civil de Minas Gerais havia divulgado um alerta sobre chuvas intensas e a possibilidade de ocorrências de "cabeça d'água" na região.

Em um vídeo, é possível ver que o impacto das pedras na água do lago gera uma grande onda e atinge embarcações. Os ocupantes de outros barcos gritam no instante do desabamento. Outro vídeo  mostra outros turistas tentando alertar quem estava nas lanchas mais próximas aos cânions sobre o risco de desabamento.

md/jps (EBC, EFE, ots)