Bolsonaro cancela participação em encontro sobre Amazônia | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 03.09.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Brasil

Bolsonaro cancela participação em encontro sobre Amazônia

Planalto informa que presidente não se reunirá com líderes da região amazônica na Colômbia porque estará se preparando para cirurgia. Governo propõe que situação da floresta seja discutida em nova data.

Jair Bolsonaro

"Pela importância que atribuiu ao tema", Bolsonaro prefere o adiamento da reunião, disse porta-voz

O presidente Jair Bolsonaro cancelou nesta segunda-feira (02/09) sua participação em uma reunião com líderes dos demais países da região amazônica, afirmou o porta-voz do palácio do Planalto, Otávio do Rêgo Barros.

A reunião marcada para esta sexta-feira na cidade de Letícia, na Colômbia, havia sido agendada após a comoção internacional e as críticas recebidas pelo governo brasileiro em relação às queimadas na Amazônia. Além de Bolsonaro, estariam presentes na reunião os presidentes da Colômbia, Peru, Equador, Bolívia, Guiana e Suriname. Apesar de fazer parte da região, a Venezuela não foi convidada.

A intenção do governo era que, ao final do encontro, os países vizinhos assinassem uma declaração conjunta em favor da defesa da soberania nacional brasileira e contra o que Bolsonaro classifica de uma ameaça de "internacionalização" da Amazônia.

"Por questões de orientação médica, o presidente precisará a partir da sexta-feira entrar em dieta líquida. A consequência disso é praticamente inviabilizar uma viagem a Letícia nesse momento", disse Rêgo Barros.

O governo está avaliando a possibilidade de enviar um substituto de Bolsonaro a Letícia, "ou eventualmente a postergação, a fim de que o próprio presidente, pela importância que ele atribuiu ao tema, possa estar presente em uma futura reunião", afirmou o porta-voz.

No próximo domingo, Bolsonaro terá que retirar uma hérnia surgida no local das cirurgias anteriores, feitas em razão da facada que levou durante a campanha eleitoral do ano passado.

Em agosto deste ano, foram registrados 30.901 focos de incêndio no bioma Amazônia, segundo dados do Programa Queimadas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Esse é o maior número registrado para o mês desde 2010, quando houve 45.018 focos. Especialistas afirmam que os incêndios devem aumentar ainda mais em setembro.

Registros dos últimos 15 anos indicam que o número de focos de queimada em setembro costumam ultrapassar os de agosto, com exceção de 2010.

RC/ots

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube
App | Instagram | Newsletter

Leia mais