Bebês de até um ano devem ficar longe das telas, recomenda OMS | Novidades da ciência para melhorar a qualidade de vida | DW | 24.04.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Saúde

Bebês de até um ano devem ficar longe das telas, recomenda OMS

Organização Mundial da Saúde afirma que menos tempo diante de aparelhos eletrônicos e mais brincadeiras são fundamentais para crianças terem um futuro saudável.

Bebê assiste vídeo em tablet

OMS faz alerta sobre exposição de bebês a telas

Bebês com menos de um ano de idade não devem ser expostos a telas, e crianças entre dois e quatro anos não devem passar mais de uma hora por dia diante delas, recomendou nesta quarta-feira (24/04) a Organização Mundial da Saúde. É a primeira vez que agência da ONU lança diretrizes sobre atividades físicas para crianças menores de cinco anos de idade.

Para uma vida saudável no futuro, além de não serem expostos a telas, bebês com menos de um ano devem ficar ativos fisicamente várias vezes ao dia, interagindo em jogos no chão, por exemplo. 

Crianças entre um e quatro anos de idade, por sua vez, devem gastar ao menos três horas ao longo do dia fazendo atividades físicas variadas, segundo a OMS. Ao sugerir o limite de uma hora por dia de tempo de tela para esta faixa etária, a agência afirma que "quanto menos, melhor".

Críticos das diretrizes disseram que a OMS não levou em consideração possíveis benefícios das mídias digitais. Segundo Andrew Przybylski, diretor de pesquisa sobre internet na Universidade de Oxford, a agência se concentrou excessivamente no tempo passado em frente a telas e não considerou o conteúdo e contexto de uso. "Nem todo tempo de tela é igual", afirmou.

Diante das críticas, a agência afirmou que as diretrizes preenchem uma lacuna nos esforços globais para promover um modo de vida saudável. Com 80% dos adolescentes não ativos o suficiente fisicamente e a obesidade representado uma crescente ameaça à saúde pública, a OMS expressou a necessidade de delinear melhores práticas para crianças menores de cinco anos, uma fase crucial para o desenvolvimento do estilo de vida.

Nas orientações, além de destacar que crianças com menos de cinco anos devem ser fisicamente ativas, a OMS aponta que elas devem dormir adequadamente para desenvolverem bons hábitos ao longo da vida e prevenir a obesidade e outras doenças.

Para bebês com menos de um ano, a recomendação é dormir entre 12 e 17 horas por dia. Para crianças de um a dois anos, o tempo de sono indicado é de 11 a 14 horas, e para os entre três e quatro anos, de 10 a 13 horas.

"Atividades físicas saudáveis, comportamento sedentário e hábitos de sono são estabelecidos no início da vida, proporcionando uma oportunidade para moldar hábitos durante a infância, adolescência e na idade adulta", destaca a agência.

As diretrizes da agência destacam que a primeira infância é um período de rápida evolução física e cognitiva, durante o qual hábitos são formados e rotinas familiares são adaptáveis.

"Comportamentos sedentários, seja no transporte motorizado em vez de caminhar ou pedalar, sentado à mesa escolar, assistindo televisão ou jogando vídeo game, estão aumentado e são associados a problemas de saúde", afirma a OMS.

Segundo a agência da ONU, a inatividade é um dos principais fatores de risco para mortalidade e impulsiona o aumento global do número de pessoas com excesso de peso e obesidade. Em um antigo relatório, a OMS afirmou que a quantidade de crianças e adolescentes obesos aumentou dez vezes nos últimos 40 anos, chegando a 120 milhões.

O sono insuficiente crônico em crianças está associado ao aumento do acúmulo de gordura. O excesso de peso pode causar doenças como diabetes, hipertensão e até algumas formas de câncer.

CN/afp/rtr/ap/ots

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 

WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados