Bannon pode estar com os dias contados na Casa Branca | Notícias internacionais e análises | DW | 15.08.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Estados Unidos

Bannon pode estar com os dias contados na Casa Branca

Imprensa dos EUA afirma que estrategista-chefe da Casa Banca e um dos principais mentores do movimento alt-right caiu em desgraça com o presidente. Depois da violência em Charlottesville, pressão pela demissão aumentou.

Bannon comandou portal de extrema direita Breitbart News

Bannon comandou portal de extrema direita "Breitbart News"

Depois da violência cometida por supremacistas brancos em Charlottesville, no estado americano da Virgínia, os dias do estrategista-chefe da Casa Branca, Steve Bannon, no governo podem estar contados, noticiou nesta terça-feira (15/08) a imprensa americana.

Quatro fatos sobre Steve Bannon, o "Darth Vader" da Casa Branca

Os boatos de um possível afastamento do ex-diretor do site de extrema direita Breitbart News do governo do presidente Donald Trump começaram a circular já no domingo. De acordo com a emissora CNN, uma fonte oficial teria afirmado que o chefe de gabinete da Casa Branca, John Kelly, quer a demissão de Bannon o quanto antes. A emissora de televisão CBS foi além e noticiou que Bannon pode perder seu cargo de estrategista-chefe até o final desta semana.

As críticas à demora de Trump para condenar a violência da extrema direita em Charlottesville seriam o motivo da desgraça de Bannon. Durante dois dias, o presidente americano evitou se posicionar claramente contra supremacistas brancos e, por essa inércia, foi criticado por democratas e republicanos. Somente nesta segunda-feira Trump condenou o racismo e os supremacistas brancos.

Bannon estaria por trás do silêncio de Trump. O presidente foi acusado de ter formulado uma primeira declaração vaga sobre o incidente, sem mencionar claramente os supremacistas brancos que haviam convocado a marcha, em consideração a uma parte do seu leitorado que pertenceria à extrema direita e aos movimentos racistas.

Essa declaração vaga teria o dedo de Bannon, que é um dos principais assessores de Trump. O Breitbart News, quando esteve sob comando do estrategista, contribuiu para fortalecer o movimento xenófobo e racista alt-right, ou Direita Alternativa.

O nome de Bannon é constantemente associado às diversas organizações de direita que compõem o alt-right. O combate à imigração e uma luta cultural do "Ocidente cristão" contra outras partes do mundo são partes centrais da agenda do movimento.

Segundo o jornal The New York Times, Bannon já teria perdido há algum tempo sua influência na Casa Branca. O presidente o colocou numa espécie de exílio interno e teria se encontrado com ele pela última vez há mais de uma semana. O diário afirmou ainda que o magnata midiático Rupert Murdoch teria aconselhado Trump a demitir o assessor depois da violência em Charlottesville.

CN/ots

Leia mais