1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Destroços do avião que caiu na Grécia
Destroços do avião que caiu na GréciaFoto: Alkis Konstantinidis/REUTERS
SociedadeGrécia

Avião de carga cai na Grécia e deixa oito mortos

17 de julho de 2022

Aeronave que pertencia a companhia ucraniana transportava carga de munições da Sérvia que seriam enviadas para Bangladesh. Bombeiros enfrentaram dificuldades para conter chamas por causa de explosões.

https://www.dw.com/pt-br/avi%C3%A3o-de-carga-cai-na-gr%C3%A9cia-e-deixa-oito-mortos/a-62501752

Um avião de carga caiu neste sábado (16/07) no norte da Grécia, matando os oito tripulantes que estavam a bordo.

O avião operado pela companhia aérea Meridian, com sede na Ucrânia, viajava de Nis, na Sérvia, para Bangladesh, com escala na Jordânia.

Segundo a imprensa grega, a aeronave pediu permissão para fazer um pouso de emergência no aeroporto grego de Kavala, mas caiu antes de chegar à pista.

A comunicação com o avião cessou quase imediatamente depois.

A aeronave já estava em chamas antes de cair, disseram testemunhas à mídia local.

O prefeito da comunidade de Pangeo, Filippos Anastasiadis, disse que o avião transportava "material perigoso". Curiosos e jornalistas foram alertados para permanecer longe dos destroços.

O avião era um Antonov An-12 - um turboélice de quatro motores construído na era soviética - de propriedade de uma empresa ucraniana.

Ele estava carregando minas e cerca de 11 toneladas de armas para Bangladesh, que havia comprado o material da Sérvia. O ministro da Defesa da Sérvia, Nebojsa Stefanovic, disse que a carga incluía morteiros e bombas de treinamento. Ele havia decolado no meio da noite, hora local, de Nis.

Stefanovic confirmou que toda a tripulação ucraniana morreu.

O avião caiu em terras agrícolas próximas a duas aldeias que fazem parte do município de Paggaio.

Autoridades locais disseram que 15 bombeiros e sete carros de bombeiros foram inicialmente mobilizados para a área. Os bombeiros enfrentaram dificuldades para se aproximar do local por causa das explosões em andamento, disseram autoridades.

jps (ots)