Autoridades alemãs querem proibir divulgação de festas no Facebook | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 04.07.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Autoridades alemãs querem proibir divulgação de festas no Facebook

Após episódios como o aniversário de uma adolescente em Hamburgo, que atraiu 1,6 mil convidados, secretários do Interior na Alemanha querem limitar uso da rede social para divulgação de festas.

Penetras atendem a chamados de festas divulgadas no Facebook

Penetras atendem a chamados de festas divulgadas no Facebook

Secretários alemães do Interior vêm pedindo para que se aumente o monitoramento de festas particulares organizadas por meio da rede social Facebook. A iniciativa acontece após uma série de incidentes envolvendo centenas de penetras em eventos divulgados pelo site.
Um dos casos que mais chamaram a atenção dos alemães nas últimas semanas foi o aniversário de 16 anos de uma adolescente conhecida por Thessa, em Hamburgo. No início de junho, a garota usou o Facebook para chamar os amigos para uma comemoração em sua casa. No entanto, inadvertidamente ela enviou o convite para todos os usuários da rede social. Cerca de 1,6 mil "convidados" apareceram.
Cem policiais foram convocados para conter a multidão, que cantava e bebia na porta da casa de Thessa. Ao final, onze pessoas foram detidas, um policial ficou ferido e dezenas de pessoas usando havaianas cortaram os pés em cacos de garrafas espalhados pelo chão.
Perigo para convidados
Aniversário da Thessa atraiu 1,6 mil 'convidados' em Hamburgo

Aniversário da Thessa atraiu 1,6 mil 'convidados' em Hamburgo

"Se a ordem pública e a segurança estão sendo colocadas em risco, então as festas divulgadas pelo Facebook devem ser banidas", radicalizou o secretário do Interior do estado da Baixa Saxônia, Uwe Schünemann, em entrevista à edição dominical do jornal Die Welt.

Ralf Jäger, colega de pasta de Schünemann no estado da Renânia do Norte-Vestfália, também tem opinião semelhante. "Se há evidência concreta de que existe um potencial de perigo aos convidados ou a terceiros inocentes, devido a festas planejadas pelo Facebook, então cabe às autoridades proibir esses eventos", defendeu Jäger.
No entanto, para Malte Spitz, do Partido Verde, os secretários do Interior estão alimentando um "debate constrangedor" com seus comentários. O político da oposição disse ainda que as autoridades "já contam com o devido poder para intervir em casos de perigo gerado por estas festas".
Bebida, bagunça, baderna
A presença de grandes grupos de penetras em festas organizadas por meio da rede social vem se tornando uma constante. Logo após o episódio em Hamburgo, os policiais alemães tiveram bastante trabalho com outra festa na cidade de Wuppertal, que atraiu 800 pessoas. Com o tumulto, 41 pessoas acabaram sendo detidas pelas autoridades e outras 16 ficaram feridas.
As autoridades de Hamburgo já estão se preparando para uma comemoração programada no Facebook que acontecerá no dia 30 de setembro. Por conta do festejo, é esperado um fluxo de 19 mil convidados na rede de transporte público da cidade.
Schünemann afirma que, para prevenir que tais eventos ocorram, deveria ser obrigatória uma "licença de internet" para os jovens que usam a rede social, a fim de alertá-los sobre os possíveis perigos de usar o site para divulgar eventos.
"Jovens não sabem frequentemente onde estão se metendo", disse o secretário ao Die Welt . "Eles têm que pagar por todos os prejuízos e também pela coleta de lixo, e isso pode custar milhares de euros".
Autor: Darren Mara (ms)
Revisão: Carlos Albuquerque

Leia mais