1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Familiares se abraçam no aeroporto de Sydney
Cenas de reencontro no aeroporto de Sydney após a chegada do primeiro voo livre de quarentena em 18 mesesFoto: Rick Rycroft/AP/picture alliance
PolíticaAustrália

Austrália reabre fronteiras pela primeira vez na pandemia

1 de novembro de 2021

País flexibiliza uma das restrições de viagens mais rígidas do mundo. Após 18 meses de fronteiras praticamente fechadas, cidadãos australianos que vivem no exterior podem voltar para casa e rever familiares e amigos.

https://www.dw.com/pt-br/austr%C3%A1lia-reabre-fronteiras-pela-primeira-vez-na-pandemia/a-59685310

A Austrália flexibilizou nesta segunda-feira (01/11) suas restrições de viagens internacionais, permitindo que cidadãos vacinados entrem no país e revejam familiares e amigos, após 18 meses de fronteiras fechadas devido à pandemia de covid-19.

Em um dos controles fronteiriços mais rígidos do mundo, viajantes estrangeiros vêm sendo barrados de ingressar na Austrália, e cidadãos foram praticamente impedidos de entrar e sair, a menos que obtivessem uma rara permissão e pagassem um preço alto por isso.

Agora, australianos vacinados contra a covid-19 e que tiverem testado negativo podem viajar sem necessidade de permissão ou quarentena. Até o momento, contudo, estrangeiros não têm os mesmos direitos que cidadãos, residentes permanentes ou familiares diretos.

Ao longo da pandemia, a Austrália registrou um total de 170.500 casos de infecção e 1.735 mortes devido à covid-19 – um número muito baixo em relação a países comparáveis à Austrália, em grande parte devido às suas restrições e lockdowns rígidos.

"Um dia de celebração"

Nas primeiras horas desta segunda-feira, passageiros regulares chegaram a Sydney vindos de Cingapura e Los Angeles, pela primeira vez desde o início de 2020. Eles foram recebidos sob lágrimas por amigos e parentes que não os viam desde antes da pandemia.

O primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, afirmou que este foi "um grande dia para a Austrália". O país está agora "pronto para decolar!", escreveu ele no Facebook. "É um dia de celebração", completou o secretário do Tesouro, Josh Frydenberg.

Familiares se reencontram no aeroporto de Sydney
"Um grande dia para a Austrália", disse o primeiro-ministro Scott MorrisonFoto: Rick Rycroft/AP/picture alliance

Por sua vez, Alan Joyce, CEO da Qantas Airways, a maior companhia aérea da Austrália, declarou: "É maravilhoso ver os australianos se reunirem com seus entes queridos depois de tanto tempo separados."

Há dois anos fora da Austrália, o cidadão Ethan Carter contou à agência de notícias Reuters que está num misto de "ansiedade e empolgação". "Vim para casa para ver minha mãe, porque ela não está bem", disse o australiano, logo após desembarcar de um voo que partiu de Los Angeles. "Eu a amo muito e mal posso esperar para vê-la."

Milhares querem voltar para casa

Para esta segunda-feira, estão programadas 16 chegadas internacionais ao aeroporto de Sydney, e 14 voos de partida para fora do país.

Segundo o Ministério das Relações Exteriores australiano, 47.000 cidadãos no exterior desejam voltar para casa.

Antes, aqueles que conseguiam permissão para entrar na Austrália tinham que pagar preços exorbitantes pelas passagens aéreas e, então, eram forçados a gastar milhares de dólares em uma quarentena de 14 dias em um quarto de hotel.

Embora as novas mudanças nas medidas sinalizem uma maior abertura, as regras foram flexibilizadas apenas para as duas maiores cidades do país, Sydney e Melbourne.

ek (AFP, Reuters)