1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Mulher negra fala e gesticula com as mãos ao redor da boca
Dia da Consciência Negra foi celebrado pela primeira vez há 50 anosFoto: Carl de Souza/AFP/Getty Images

Atos em diversas cidades celebram o Dia da Consciência Negra

20 de novembro de 2021

Manifestantes marcharam em defesa dos direitos da população negra e para discutir o legado da escravidão no país. Em diversas cidades, atos também tiveram pedidos de impeachment de Jair Bolsonaro.

https://p.dw.com/p/43IjS

Manifestantes fizeram atos em dezenas de cidades brasileiras neste sábado (20/11) para marcar o Dia da Consciência Negra. Os atos incluíram protestos contra o governo de Jair Bolsonaro e pedidos de impeachment do presidente.

Em São Paulo, diversos grupos reuniram-se na Avenida Paulista, em frente ao Masp, realizaram atividades e estenderam faixas pelos direitos da população negra. Participaram da organização do ato as frentes Povo Sem Medo e Brasil Popular, centrais sindicais e entidades estudantis, entre outros.

Houve atos também em cidades no interior paulista, como Sorocaba e Jundiaí, para marcar a celebração da cultura negra e discutir o legado da escravidão no país.

Ativistas do movimento negro pedem o impeachment de Bolsonaro em cartaz
Ativistas do movimento negro no Rio pediram o impeachment de Bolsonaro Foto: Bruna Prado/AP Photo/picture alliance

No Rio de Janeiro, houve eventos e manifestações no monumento Zumbi dos Palmares, no centro da cidade, e em Brasília em frente à Biblioteca Nacional, que incluíram pedidos de impeachment de Bolsonaro.

Foram realizadas ainda manifestações em Fortaleza, com protestos contra o aumento da fome e o preconceito racial, em Belo Horizonte, onde também estavam presentes cartazes contra Bolsonaro, em Goiânia, em Belém, em Altamira (PA) e em Florianópolis.

O movimento negro também promoveu atos na Serra da Barriga, em Alagoas, região onde ficava o Quilombo dos Palmares, em Campo Grande, Vitória, Cuiabá, Recife e Manaus, entre outras cidades. Em Salvador, houve a lavagem da estátua de Zumbi dos Palmares, considerado líder da resistência negra no país.

A música e a resiliência da consciência negra

Em Porto Alegre, centrais sindicais, movimentos sociais e partidos lembraram a morte de João Alberto Silveira Freitas, homem negro espancado até a morte em 19 de novembro de 2020 em uma unidade do Carrefour na cidade.

O Dia da Consciência Negra foi celebrado pela primeira vez há 50 anos, por um grupo de negros no Rio Grande do Sul. A data histórica foi incluída no calendário nacional oficial em 2011, e é feriado em cerca de mil cidades do país. A data é o dia atribuído à morte de Zumbi dos Palmares, líder do maior quilombo do período colonial no Brasil, ocorrida em 1695.

bl (ots)