Ataque em supermercado nos EUA deixa 10 mortos | Notícias internacionais e análises | DW | 23.03.2021

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Estados Unidos

Ataque em supermercado nos EUA deixa 10 mortos

Homem abriu fogo com fuzil de assalto em estabelecimento no Colorado. Um suspeito foi preso. Ataque ocorre menos de uma semana depois de chacina que deixou oito mortes no estado da Geórgia.

Supermercado que foi palco de massacre no Colorado

Supermercado que foi palco de massacre no Colorado. Um policial morreu durante a ação

Ao menos dez pessoas foram mortas nesta segunda-feira (22/03) em um ataque a tiros em um supermercado na cidade de Boulder, no estado americano do Colorado. Entre as vítimas está um policial que foi o primeiro a atender a ocorrência. Um suspeito foi preso.

O incidente começou por volta de 14h30 no horário local (17h30 em Brasília) num supermercado da rede King Soopers, a 50 quilômetros a noroeste de Denver, capital do Colorado, quando um homem armado entrou na loja.

Segundo relatos, ele portava um fuzil de assalto do tipo AR-15. Cerca de 20 minutos depois, a polícia local tuitou que havia "um atirador em ação" no supermercado e pediu que a população evitasse a área.

"Ele simplesmente entrou e começou a atirar", disse uma testemunha ao jornal Denver Post.

Pessoas que passavam pelo local filmaram a cena. Um dos vídeos mostra corpos estendidos no chão. Pouco depois, a polícia publicou uma mensagem pedindo que as pessoas não transmitissem nas redes sociais nenhuma "informação tática" sobre o ataque.

Um agente da polícia que se dirigiu ao local, identificado como Eric Talley, de 51 anos, foi morto na ação. O ataque parece ter se estendido por pelo menos uma hora, segundo a sequência de tuítes publicado pela polícia local.

De acordo com o comandante da polícia de Boulder, Kerry Yamaguchi, um suspeito de ter executado o ataque foi preso. Imagens mostram um homem saindo algemado do supermercado, com sangue escorrendo nas pernas. A polícia ainda não divulgou sua identidade nem a possível motivação do ataque. Durante a noite, a polícia confirmou que o número de mortes chegou a dez.

"Prometo às vítimas que será feita justiça"

Dezenas de membros das forças de segurança cercaram o estabelecimento. As forças locais contaram com apoio do FBI, a polícia federal dos EUA.

"Prometo às vítimas que será feita justiça", disse o procurador do condado de Boulder, Michael Dougherty, que se comprometeu a ser "muito cuidadoso" com a cena do crime durante a investigação.

A secretária de Imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, escreveu nas redes sociais que o presidente Joe Biden foi informado sobre o ataque.

O ataque em Boulder ocorre ocorre menos de uma semana depois de uma chacina que deixou oito mortos em Atlanta, no estado da Geórgia. Na ocasião, um homem de 21 anos efetuou disparos em três estabelecimentos de massagens na cidade. Entre os mortos estavam seis mulheres de origem asiática. De acordo com a polícia, o atirador, identificado como Robert Aaron Long, afirmou que executou o ataque por uma mistura de motivações religiosas e frustração de não conseguir lidar com impulsos sexuais.

O supermercado em Boulder também fica a poucas dezenas de quilômetros de Columbine, palco de um dos mais infames massacres da história recente dos EUA.

jps/lf (ots)

Leia mais