Ataque com caminhão-bomba deixa dezenas de mortos na Somália | Notícias internacionais e análises | DW | 14.10.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

África

Ataque com caminhão-bomba deixa dezenas de mortos na Somália

Explosão atribuída ao grupo jihadista Al Shabaab ocorre perto de hotel frequentado por funcionários do governo e estrangeiros em rua movimentada de Mogadíscio. Atentado é o mais mortal desde eleição de fevereiro.

Explosão em rua movimentada da capital somali, Mogadíscio, destruiu vários prédios.

Explosão em rua movimentada da capital somali, Mogadíscio, destruiu vários prédios

Um ataque com um caminhão-bomba neste sábado (14/10) deixou ao menos 30 mortos e dezenas de feridos, em sua maioria civis, em Mogadíscio, capital da Somália. A explosão, atribuída ao grupo jihadista Al Shabaab, ocorreu nas proximidades do hotel Safari, numa rua muito movimentada do centro da cidade.

De acordo com o policial Mohamed Hussein, o caminhão havia levantado suspeitas e estava sendo seguido por agentes no momento em que explodiu, por volta das 15h40 (hora local, ou 9h40 em Brasília). A polícia disse que há pessoas retidas nos escombros do hotel Safari, que foi amplamente destruído pela explosão.

O hotel se localiza nas proximidades do Ministério das Relações Exteriores da Somália e é frequentado principalmente por funcionários do governo, jornalistas e somalis que regressam do exterior. Forças de resgate trabalham na região onde ocorreu o atentado, que é o mais mortal na capital desde as eleições de fevereiro deste ano.

Explosão em Mogadíscio

Forças de segurança somalis socorrem pessoas feridas com a explosão do caminhão-bomba

O comandante da polícia de Mogadíscio, Mahad Abdi Gooye, disse que um segundo caminhão-bomba explodiu perto da antiga sede da companhia aérea nacional Somali Airlines, no distrito de Wadajir.

O grupo extremista Al Shabab, com base na Somália, intensificou recentemente os ataques a bases do Exército nas regiões sul e central do país. Os terroristas não reivindicaram imediatamente a responsabilidade pelas explosões, mas o grupo geralmente tem como alvo regiões com a presença de funcionários do governo e estrangeiros.

A explosão perto do hotel Safari deixou uma trilha de destruição em um ponto muito movimentado da cidade, com vários corpos ensanguentados expostos. Janelas de prédios próximos foram destruídos, e carros queimaram na rua. "Havia um engarrafamento, e a rua estava cheia de carros e transeuntes", afirmou um garçom que trabalha num restaurante nas proximidades. "É uma tragédia."

A Al Shabaab, que em 2012 se filiou à rede terrorista Al Qaeda, controla parte do território no centro e no sul do país e tenta instaurar um Estado islâmico wahabista na Somália. O país vive em estado de guerra e caos desde 1991, quando o ditador Mohamed Siad Barre foi destituído, o que deixou o país sem governo efetivo e em mãos de milícia radicais islâmicas.

FC/efe/dpa/ap/afp

Leia mais