1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Universidade de Heidelberg
Polícia na cena do ataque, em HeidelbergFoto: Pr-Video|R.Priebe/dpa/picture alliance
CriminalidadeAlemanha

Ataque em universidade alemã deixa um morto e três feridos

24 de janeiro de 2022

Homem armado abriu fogo em auditório da Universidade de Heidelberg, no sudoeste do país. Segundo a polícia, agressor, que seria um estudante, morreu durante ataque.

https://www.dw.com/pt-br/ataque-a-tiros-em-universidade-na-alemanha-deixa-um-morto-e-tr%C3%AAs-feridos/a-60537618

Um homem armado matou uma pessoa e deixou três pessoas feridas nesta segunda-feira (24/01). ao efetuar disparos no auditório da Universidade de Heidelberg, no sudoeste da Alemanha.

Uma estudante baleada não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital.

A polícia local confirmou que o agressor, um homem de 18 anos de nacionalidade alemã, também morreu durante o ataque. Segundo as autoridades, ele cometeu suicídio antes mesmo da chegada da polícia. Em sua mochila foram encontrados mais de cem cartuchos de munição.

De acordo com a polícia, o agressor não tinha antecedentes criminais. Ele portava duas armas de cano longo no momento do ataque. 

As autoridades descartaram a participação de mais de um agressor. 

Pouco antes, a polícia havia pedido via Twitter que fosse evitada a área de Neuenheimer Feld, onde a universidade está localizada.

O ataque ocorreu por volta de 13h no horário local (9h em Brasília) e desencadeou uma grande operação policial.

Segundo fontes de segurança ouvidas pela agência de notícias DPA, o agressor era um estudante e não agiu com motivação política ou religiosa.

Mais cedo, a polícia disse que "não estava ciente de nenhuma carta reivindicando responsabilidade" pelo ataque e pediu ao público que evite especulações.

À noite, numa coletiva de imprensa, a polícia local afirmou que o agressor não tinha autorização para posse de armas. A polícia suspeita que ele tenha comprado as armas no exterior.

Depois do ataque, o chanceler federal da Alemanha, Olaf Scholz, expressou suas condolências.

"Parte meu coração ouvir essas notícias", disse Scholz em entrevista coletiva em Berlim. "Meus pensamentos estão com as vítimas, seus parentes e, claro, com os alunos da Universidade de Heidelberg."

Winfried Kretschmann, governador de Baden-Württemberg, onde fica Heidelberg, disse estar "profundamente preocupado". "Meus pensamentos estão com as famílias e parentes - estamos ao lado deles", disse Kretschmann na segunda-feira em Stuttgart.

"Nossa polícia está investigando com agilidade e está fazendo todo o possível para esclarecer rapidamente os antecedentes do crime", explicou Kretschmann. 

Heidelberg é uma famosa cidade universitária no estado de Baden-Württemberg, com cerca de 160 mil habitantes. Fundada em 1386, a universidade é a mais antiga da Alemanha.

O campus de Neuenheimer Feld abriga os departamentos de ciências naturais, parte do hospital universitário e um jardim botânico. 

Ataques a tiros em instituições de ensino são relativamente raros na Alemanha, um dos países com uma das legislações de armas mais rígidas da Europa.

Em 2009, um ex-aluno matou nove estudantes, três professores e três passantes num ataque numa escola de Winnenden, também em Baden-Württemberg, e depois se matou.

Em 2002, um ex-aluno de 19 anos atirou contra 16 pessoas, incluindo 12 professores e dois estudantes numa escola em Erfurt, aparentemente em reação à sua expulsão. Ele também se matou em seguida.

lf/jps (DPA, AFP, ots)