Assad: Ocidente é perdedor na Síria | Notícias internacionais e análises | DW | 20.08.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Assad: Ocidente é perdedor na Síria

Presidente sírio declara fracassados "planos de subversão" das potências ocidentais, cujas "conexões com o terror" o fazem descartar qualquer forma de cooperação. Observatório noticia mortes por míssil em Damasco.

No discurso de abertura de uma conferência no Ministério do Exterior de Damasco, neste domingo (20/08), o presidente sírio, Bashar al-Assad, declarou rejeitar qualquer forma de cooperação com o Ocidente, enquanto este mantiver suas "conexões com o terrorismo".

Dirigindo-se a dezenas de diplomatas sírios, ele disse excluir tanto uma cooperação de segurança quanto a abertura de embaixadas. A Síria teria frustrado os planos de subversão do Ocidente e até mesmo alcançado êxitos no campo de batalha, com ajuda da Rússia, Irã e da milícia libanesa do Hisbolá.

"A luta continua", afirmou o líder, na fala transmitida pela televisão. Uma outra coisa é aonde essa luta levará e quando se poderá falar de vitória, acrescentou, sem ser mais específico. Seu país combateu o terror desde o primeiro momento e seguirá derrotando-o em todos os lugares, com o apoio de seus amigos, prometeu.

Quase simultaneamente, o Observatório Sírio para os Direitos Humanos noticiava a morte de cinco pessoas em decorrência da queda de um míssil na Feira Internacional de Comércio em Damasco. Pelo menos outras 12 ficaram feridas. O projétil teria sido lançado a partir de Ghouta Leste, área controlada por rebeldes no extremo leste da capital síria.

O Observatório sediado em Londres, opositor de Assad, toma como base para suas notícias os dados de uma rede de ativistas na Síria. Até o momento não há informações oficiais sobre o ataque fatal.

AV/rtr,afp,dpa

Leia mais