As principais notícias sobre a pandemia de coronavírus (17/05) | Notícias internacionais e análises | DW | 17.05.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Coronavírus

As principais notícias sobre a pandemia de coronavírus (17/05)

Espanha tem menos de 100 mortes em 24 horas pela primeira vez em dois meses. Reino Unido registra menor cifra de mortes diárias desde o início da quarentena. Mourão testa negativo após contato com infectado.

Duas enfermeiras se abraçam

Na Espanha, esperança retorna após divulgação dos últimos registros da pandemia

Resumo deste domingo (17/05):

  • Mundo tem mais de 4,6 milhões de casos, 313 mil mortes e 1,7 milhão de recuperados
  • Brasil registra 233.142 infecções, 15.633 óbitos e 89.672 recuperados (até 19h de domingo)
  • Bolsonaro leva ministros a manifestação pró-governo
  • Mourão recebe resultado negativo para covid-19
  • Espanha tem menos de 100 mortes em 24 horas pela primeira vez em dois meses
  • Reino Unido registra menor cifra de mortes diárias desde o início da quarentena
  • Premiê britânico diz que vacina pode jamais virar realidade
  • Obama critica gestão de pandemia de Trump

Transmissão encerrada. As atualizações estão no horário de Brasília:

18:30 – Bolsonaro leva ministros a manifestação pró-governo

O presidente Jair Bolsonaro voltou a acompanhar uma manifestação pró-governo em Brasília neste domingo (17/05),  dessa vez ao lado de ao menos 11 ministros. Manifestantes se aglomeraram em frente ao Palácio do Planalto, ignorando recomendações de autoridades sanitárias para que se mantenha o distanciamento social a fim de conter o avanço do novo coronavírus.

Usando máscara, Bolsonaro apareceu no alto da rampa do prédio por volta de meio-dia, segundo a imprensa brasileira. Algumas dezenas de pessoas se aglomeravam à espera do presidente, a maioria delas carregando faixas, bandeiras nacionais e vestindo verde e amarelo.

Leia a notícia completa

16:50 – Governador de Nova York faz teste de coronavírus ao vivo

O governador do estado de Nova York, Andrew Cuomo, foi testado para o novo coronavírus durante uma transmissão ao vivo neste domingo, e pediu para que os nova-iorquinos que apresentarem sintomas ou forem expostos ao vírus sigam seu exemplo.

"Você não precisa ser um 'durão' de Nova York para fazer o exame", disse Cuomo, na entrevista coletiva diária em que informa a imprensa sobre a epidemia no estado. "Você precisa ser inteligente, unido, disciplinado; você tem que amar a si mesmo, sua família, e os nova-iorquinos", completou, após uma enfermeira recolher uma amostra de secreção de seu nariz com um cotonete.

"Se eu não estiver aqui amanhã, é porque o resultado deu positivo", brincou. Cuomo já foi testado diversas vezes anteriormente, mas nunca em público.

O governador alertou não haver tantos cidadãos procurando fazer os testes, que são de importância vital enquanto partes do estado retomam algumas atividades não essenciais. Mais tarde no Twitter, ele reiterou o apelo: "[O exame] é rápido, fácil e indolor. Se eu tive tempo, você também tem."

Na mesma coletiva, Cuomo anunciou que os critérios para o teste foram expandidos para incluir não apenas aqueles com sintomas semelhantes aos da gripe, mas também pessoas que retornam ao trabalho, que interajam com o público em sua profissão, que tenham contato com pessoas doentes, bem como profissionais de saúde.

Nova York se tornou o epicentro do coronavírus nos Estados Unidos, com mais de 350 mil casos e mais de 22 mil mortes confirmadas.

15:20 – Reino Unido tem menor número de mortes diárias desde o início do isolamento

O Reino Unido registrou 170 mortes por coronavírus em 24 horas, o número diário mais baixo desde o início da quarentena no país, em 24 de março. Ainda que as cifras sejam geralmente mais baixas nos fins de semana, este domingo registrou quase 100 mortes a menos que o domingo passado, quando foram notificadas 268 vítimas.

O total de óbitos em território britânico chega agora a 34.636, o segundo mais alto do mundo, atrás somente dos Estados Unidos. Os casos confirmados somam 243.303, sendo 3.142 registrados nas últimas 24 horas. O país é o terceiro do mundo em número de infecções, atrás de EUA e Rússia.

14:20 – São Paulo anuncia retomada do rodízio de carros tradicional

A prefeitura de São Paulo decidiu suspender as restrições mais amplas de circulação de veículos a partir desta segunda-feira (18/05). A medida deve ser publicada em edição extra do Diário Oficial, informou o prefeito Bruno Covas.

Com a mudança, o rodízio volta a ser como era antes da pandemia. A restrição é definida de acordo com o número final da placa do veículo e o dia da semana.

Em vigor desde o último dia 11, o sistema de rodízio mais rigoroso passou a ser aplicado em toda a cidade e pelo período de 24 horas. Contudo, não surtiu efeito no índice de isolamento social, conforme esperava a prefeitura.

"Não tem sentido a gente exigir esse esforço sobrenatural das pessoas se, do ponto de vista prático, a única razão para qual o rodízio [ampliado] foi feito, que é aumentar o isolamento social, não foi cumprida. Continuamos abaixo dos 50%", afirmou Covas. Na última sexta-feira, o índice de isolamento na capital foi de 48%.

O prefeito disse ainda que a retomada do rodízio tradicional não deve servir de pretexto para que a população se sinta livre para transitar pela cidade, como se não estivesse no contexto da pandemia, que exige cuidados preventivos.

13:30 – Programa alemão para salvar empregos pode ter fôlego curto, dizem especialistas

O chamado "Kurzarbeit" tem dado sobrevida a empresas e funcionários durante a pandemia. No entanto, analistas alertam que, se a economia não for retomada nas próximas semanas, um aumento drástico do desemprego pode ser inevitável.

Leia a reportagem completa

12:10 – Premiê britânico diz que vacina para covid-19 pode jamais virar realidade

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, admitiu a frustração dos britânicos com a lenta flexibilização das medidas de isolamento devido à pandemia, mas pediu mais paciência.

Em um artigo publicado neste domingo (17/05) no jornal britânico Mail on Sunday, Johnson disse que confia no bom senso da população para cumprir as medidas de controle do novo coronavírus.

Ele afirmou também ser possível que uma vacina contra a covid-19 nunca venha a poder ser desenvolvida, apesar de todo o esforço global neste sentido. "Diria que arriscaríamos tudo para poder encontrar uma vacina", escreveu. "Ainda resta um longo caminho a percorrer e devo ser franco: uma vacina pode vir a não se concretizar."

Desde a última quarta-feira, a população da Inglaterra pode sair de casa para fazer exercícios físicos mais de uma vez por dia, além de poder se encontrar ao ar livre com alguém que não pertence ao ambiente familiar, desde que mantenha distância física. No entanto, o governo pediu para que as pessoas que puderem, trabalhem remotamente e não usem o transporte público.

Isso não vale em outras regiões britânicas, como Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte, onde as autoridades autônomas decidiram manter a quarentena. 

Em seu artigo, Johnson reconheceu que "entende que as pessoas ficarão frustradas com algumas das novas regras", mas pediu paciência para que o país não arrisque os esforços já feitos para controlar o coronavírus no Reino Unido.

Boris Johnson durante discurso televisionado

"Tenho que ser franco: uma vacina pode vir a não se concretizar", ressaltou premiê britânico em artigo

10:30 – Mourão recebe resultado negativo para covid-19

O vice-presidente Hamilton Mourão, de 66 anos, recebeu resultado negativo para o coronavírus Sars-Cov-2. Ele ainda espera a contraprova, informou a assessoria da Vice-Presidência da República, em nota divulgada neste domingo (17/05).

Mourão e a mulher dele, Paula Mourão, fizeram exames para detectar o novo coronavírus e então em isolamento desde este sábado, após saberem que um servidor com quem Mourão entrou em contato na última quarta-feira foi diagnosticado com a doença. 

"O Vice-Presidente da República e sua esposa permanecem em isolamento na residência oficial do Jaburu, só devendo o Vice-Presidente Hamilton Mourão retornar ao expediente normal na quarta-feira, caso os exames de contraprova assim o autorizem", diz o comunicado.

Vice-presidente Hamilton Mourão

Vice-presidente Hamilton Mourão espera a contraprova do exame

09:20 – Obama critica gestão de pandemia de Trump

O ex-presidente dos EUA Barack Obama fez críticas veladas a seu sucessor, Donald Trump, pela gestão da pandemia do novo coronavírus e o aprofundamento das desigualdades no país, ao falar neste sábado (17/05) a estudantes numa cerimônia virtual de formatura, numa rara intervenção pública desde o início da crise de covid-19.

No discurso virtual a formandos de uma rede de instituições de ensino superior historicamente conhecidas por receberem principalmente pessoas negras, Obama afirmou que "a pandemia acabou com a ideia de que os encarregados políticos sabem o que fazem".

Na cerimônia virtual da entrega dos diplomas, ele falou sobre temas que vão desde conselhos aos formandos, passando por críticas à forma com que o atual governo lida com a crise de saúde pública nos EUA.

"Mais do que tudo, esta pandemia enterrou em definitivo a ideia de que os nossos responsáveis sabem o que fazem", disse Obama. "Muitos deles sequer tentam aparentar que estão no comando", acrescentou.

Leia notícia completa

07:30 – Espanha tem menor cifra diária de mortes em dois meses

O Ministério da Saúde da Espanha afirmou que a contagem diária de mortes foi de 87 neste domingo (17/05). Primeira vez em dois meses, a cifra fica abaixo de 100.

Em meados de março, o país implementou um dos mais rígidos regulamentos de isolamento social do mundo para conter a propagação do vírus. Desde então, o governo começou a diminuir muitas restrições e anunciou no sábado planos para estender seu estado de emergência por mais um mês.

Como parte das mudanças mais recentes, os clubes da liga espanhola de futebol poderão começar os treinos conjuntos nesta segunda-feira, após semanas em que os jogadores tiveram que treinar sozinhos. Cerca de 27.650 pessoas morreram em função da covid-19 na Espanha, enquanto mais de 230,6 mil foram infectadas.

Casal de abraça e ao fundo equipe vestida de traje protetor azul atende paciente em maca

Funcionários do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) tentam reanimar paciente em Manaus

05:30 – Brasil tem 15,6 mil mortes por covid-19

O Brasil registrou neste sábado (16/05) 816 novas mortes nas últimas 24 horas em decorrência do novo coronavírus, segundo dados do Ministério da Saúde, somando um total de 15.633 óbitos. 

Os casos confirmados da covid-19 chegam a 233.142 (14.919 infecções registradas nas últimas 24 horas). O país passa Itália (cerca de 224 mil) e Espanha (cerca de 230 mil), se tornando o quarto no mundo em infectados pelo coronavírus, de acordo com monitoramento da universidade americana Johns Hopkins.

Ainda conforme o Ministério da Saúde, também há 127.837 pacientes em tratamento (54,8% do total de casos confirmados), e 89.672 recuperados (38,5% do total). Estão em investigação 2.304 óbitos suspeitos.

O estado mais atingido é São Paulo, com 61.183 casos confirmados e 4.688 mortes – são mais óbitos pelo coronavírus que na China (4.637), país onde a pandemia começou em dezembro. O Ceará é o segundo estado com maior número de infectados, com 23.795 casos e 1.614 óbitos, seguido pelo Rio de Janeiro, com 21.601 casos e 2.614 mortos. Completam a lista dos cinco estados mais afetados o Amazonas (19.677 casos e 1.375 mortes) e Pernambuco (18.488 casos e 1.461 mortes).

Leia a notícia completa

Resumo dos principais acontecimentos de sábado (16/05):

  • Mundo tem mais de 4,6 milhões de casos, 310 mil mortes e 1,6 milhão de recuperados
  • Brasil registra 218.223 infecções, 14.817 óbitos e 84.970 recuperados (até 18h de sábado)
  • Mourão faz teste e se isola após contato com infectado
  • Bundesliga reinicia jogos após dois meses de paralisação
  • Alemanha relaxa controle de fronteiras com vizinhos
  • Cidades europeias têm protestos contra medidas de contenção
  • Itália vai liberar viagens internas e planeja reabrir fronteiras em 3 de junho
  • Espanha quer prorrogar estado de emergência

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 
App | Instagram | Newsletter