Arquivo central antiterror será instalado na Alemanha | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 04.09.2006
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Arquivo central antiterror será instalado na Alemanha

Um mês após os frustrados atentados a trens na Alemanha, o ministro e os secretários do Interior alemães chegaram a um acordo quanto à criação de um arquivo central de dados sobre o terrorismo.

default

Arquivo antiterror deverá ser instalado em cerca de um ano

O ministro e os secretários alemães do Interior chegaram a um acordo, nesta segunda-feira (04/09) em Berlim, quanto à instalação de um arquivo central de dados antiterrorismo, no qual serão armazenadas informações da polícia e dos serviços secretos sobre suspeitos de atividades terroristas.

A conferência de emergência foi organizada após serem divulgados, em agosto último, os primeiros resultados do inquérito sobre as tentativas de atentado a bomba em dois trens regionais no Estado da Renânia do Norte-Vestfália.

Após anos de discussão, o combate ao terrorismo será ampliado na Alemanha. Além do arquivo, o controle por câmeras de vídeo deverá ser ampliado nas estações ferroviárias e aeroportos. As autoridades não chegaram a um acordo, entretanto, quanto à instalação de câmeras de vídeo em locais públicos.

Anos de discussão

Polizei nutzt in Regensburg Videokameras zur Überwachung Symbolbild Überwachungsstaat Staatliche Überwachung

Câmeras de vídeo em local público: Estados têm poder de decisão

Já há anos, a instalação de um arquivo central antiterror era motivo de discussão entre o Partido Social Democrata (SPD) e os partidos da aliança CDU/CSU, os atuais partidos da grande coalizão do governo alemão. A questão central girava em torno do acesso aos dados do arquivo.

Como meio-termo, o núcleo do arquivo deverá conter somente as informações necessárias para a identificação dos suspeitos de terrorismo.

Além disso, deverá haver uma ficha ampliada contendo dados sobre a participação em organizações terroristas, posse de armas, número de contas bancárias e de telefone, formação profissional, profissão, mobilidade, como também estado civil e religião.

Tanto os Estados quanto as autoridades federais terão acesso a ambas as partes do arquivo. Para acessar a parte ampliada, entretanto, o interessado deverá explicar a razão para tal. O presidente da Conferência dos Secretários do Interior, Günther Beckstein (CSU), afirmou que o arquivo estará reservado somente aos chefes de departamento ou a encarregados especiais, devendo ser usado somente em casos de combate ao terrorismo.

Estrangeiros também deverão ser controlados

Os secretários de Interior também chegaram a um acordo quanto à verificação dos dados de estrangeiros e pessoas convidadas. Um grupo de trabalho irá estudar mudanças na legislação sobre a concessão de vistos.

Além disso, os partidos conservadores da aliança CDU/CSU defendem a instalação de câmeras de vídeo em locais públicos. Neste caso, trata-se do combate à criminalidade e não ao terrorismo, comenta o secretário do Interior da Baviera, Günther Beckstein. Sobre esta questão, os Estados poderão decidir de forma independente. O projeto de lei que regulamenta a instalação do arquivo deverá ser aprovado pelo gabinete federal ainda neste setembro. Segundo especialistas, a introdução do arquivo central de dados antiterror deverá levar ainda cerca de um ano, após as autoridades governamentais haverem chegado a um acordo.

Leia mais