Armin Laschet é o candidato de CDU e CSU para suceder Merkel | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 20.04.2021

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Alemanha

Armin Laschet é o candidato de CDU e CSU para suceder Merkel

Após semanas de debate, Markus Söder, presidente da CSU e principal concorrente de Laschet à indicação, acata preferência do partido da atual chanceler federal pelo governador da Renânia do Norte-Vestfália.

Armin Laschet

Decisão por Laschet encerra semanas de um debate que dividiu os conservadores alemães

Armin Laschet, governador do estado da Renânia do Norte-Vestfália, será o candidato a chanceler federal da Alemanha pelos partidos conservadores CDU e CSU na eleição de 26 de setembro.

A direção da CDU reafirmou na noite desta segunda-feira (19/04) que apoia Laschet, que é o presidente do partido, como candidato dos conservadores. Ele obteve 77,5% dos votos da direção, contra 22,5% para Markus Söder, presidente da CSU e governador da Baviera.

Söder havia dito nesta segunda-feira que caberia à CDU, como maior dos dois partidos conservadores, decidir quem seria o candidato de ambos à chancelaria e que acataria a decisão tomada, qualquer que fosse.

Ele reiterou essa posição nesta terça-feira, depois da reafirmação do apoio da CDU a Laschet, na prática deixando o campo livre para que o governador renano seja o candidato da união CDU-CSU à sucessão da chanceler federal Angela Merkel.

"Armin Laschet será o candidato a chanceler federal da CDU-CSU", declarou Söder em Munique, afirmando que o importante agora é a unidade dos dois partidos.

A opção por Laschet encerra semanas de um debate que dividiu os conservadores alemães sobre qual dos dois seria o melhor candidato para a eleição de 26 de setembro.

Aliado de Merkel

Laschet, um aliado de Merkel, seria o candidato natural por ser o presidente do maior dos dois partidos, mas Söder aparece bem na frente dele em pesquisas de intenção de voto. Um levantamento recente mostrou que 44% dos alemães consideram Söder o candidato mais adequado, enquanto 15% optam por Laschet.

O debate, em grande parte público, sobre o candidato à chancelaria evidenciou a profunda divisão nas fileiras conservadoras, o que analistas avaliam como um mau sinal para os eleitores.

Em contraste, o Partido Verde tomou sua decisão sem ruídos e anunciou nesta segunda-feira que sua copresidente Annalena Baerbock será a sua candidata à chancelaria federal. A questão foi decidida internamente entre ela e o outro copresidente, Robert Habeck, sem debate públicos, justamente para enviar um sinal de unidade aos eleitores.

Tradicionalmente, apenas partidos com reais chances de elegerem o chanceler federal indicam de antemão seu candidato para o cargo. A eleição do chanceler federal alemão é indireta e realizada pelo Bundestag (Parlamento). Com a indicação de um nome antes do início da campanha, os partidos deixam claro para os eleitores quem eles indicarão para a eleição indireta no Bundestag caso venham a liderar uma coalizão de governo.

A CDU lidera as pesquisas eleitorais para a eleição do próximo Bundestag (Parlamento), com pouco menos de 30%, seguida pelo Partido Verde, que alcança cerca de 20%.

as/cn (ots)

Leia mais