Alemanices: Liberte suas coisas | Colunas semanais da DW Brasil | DW | 28.07.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Colunas

Alemanices: Liberte suas coisas

Grupos no Facebook de doação e troca são populares na Alemanha. Comunidade Free Your Stuff é uma das mais conhecidas e está presente em várias cidades. A ideia é reaproveitar objetos e combater o desperdício.

Simon Neumann, criador da comunidade Free Your Stuff Mainz

Simon Neumann, criador da comunidade Free Your Stuff Mainz

Passar adiante em vez de jogar fora. Reaproveitar o que se tornou velho para alguém, mas que pode ganhar um novo significado e utilidade para você. Compartilhar o que não se usa mais é uma marca em comunidades no Facebook na Alemanha. A Free Your Stuff (FYS, em português, liberte suas coisas) é a mais popular.

Na página, usuários compartilham posts com a foto e a descrição de estantes de livros, tintura de cabelo, bijuterias, papinhas de bebê, plantas de babosa, sofás, camas, bicicletas, e outros itens, esperando que alguém venha buscar os objetos a serem doados. Quem é mais rápido em entrar em contato e ir até o local combinado para pegar a doação geralmente garante a oferta.

A principal regra é não estabelecer preços. Tudo é oferecido de forma gratuita como doação ou troca. "Estou vendendo o meu sofá 'de graça'", diz o anúncio de um usuário no Free Your Stuff Berlin.  

Segundo a imprensa alemã, a plataforma surgiu em Luxemburgo, por iniciativa de um estudante que queria permitir a pessoas sem muito dinheiro obter produtos por meio de doações e trocas. A ideia, no entanto, acabou virando febre na Alemanha, onde há páginas locais do FYS em várias cidades.

A Free Your Stuff Mainz, por exemplo, foi criada por um estudante que postou a oferta de um televisor que ele não queria mais. Milhares de pessoas se juntaram à comunidade, que se tornou uma das com mais membros na Alemanha.

Também há comunidades em Berlim, Munique, Colônia, Düsseldorf e Hamburgo. No Brasil, foram criadas páginas para doação e troca em São Paulo e Porto Alegre, inspiradas na iniciativa alemã.

Esse tipo de movimento nas redes sociais reflete um senso de comunidade numa era de pós-consumismo. Prolongar a vida útil de objetos que não servem mais para alguém, mas podem ser muito úteis para outra pessoa em outro lugar transmite uma mensagem de resistência ao desperdício. O que muitas vezes é considerado "velho" pode ganhar um novo valor.

Na coluna Alemanices, publicada às sextas-feiras, Karina Gomes escreve crônicas sobre os hábitos alemães, com os quais ainda tenta se acostumar. A repórter da DW Brasil e DW África tem prêmios jornalísticos em direitos humanos e sustentabilidade e vive há três anos na Alemanha.

Leia mais