1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Foto aérea mostra alagamento no oeste da Alemanha. Há muita água cobrindo as ruas.
Maioria das vítimas fatais atingidas das enchentes estava em Bad Neuenahr-Ahrweiler Foto: Ferdinand Merzbach/AFP/Getty Images
CatástrofeAlemanha

Alemanha vai investigar negligência em mortes nas enchentes

6 de agosto de 2021

Segundo procuradores, autoridades de Ahrweiler não agiram com clareza e rapidez suficientes para alertar moradores sobre as inundações e levá-los a locais seguros.

https://www.dw.com/pt-br/alemanha-vai-investigar-neglig%C3%AAncia-em-mortes-nas-enchentes/a-58783696

Procuradores da Alemanha anunciaram nesta sexta-feira (06/08) a abertura de uma investigação por "homicídio por negligência" contra o chefe da região administrativa de Ahrweiler, no oeste do país, em razão da conduta dele frente às enchentes que devastaram a região em julho.

Depois de um exame do caso, a Procuradoria de Koblenz informou em comunicado que "confirmou as suspeitas iniciais de homicídio e lesão corporal negligente" e que abriu uma investigação.

Foto de líder regional alemão Jürgen Pföhler. Ele usa óculos com armação preta e está com máscara de proteção no queixo.
Jürgen Pföhler tinha autoridade única para tomar decisões, afirmam procuradoresFoto: Thomas Frey/dpa/picture alliance

A Justiça acusa o líder regional Jürgen Pföhler, membro do partido governista União Democrata Cristã (CDU), de não ter tomado as medidas necessárias para alertar a população, frente às fortes chuvas e inundações que assolaram a região.

Ainda muitas incertezas

De acordo com os promotores, há indícios de que os moradores do Vale do Ahr, que ainda não haviam sido afetados pelas enchentes, não foram avisados com antecedência e clareza suficientes sobre o risco que corriam, após as autoridades locais receberam alertas meteorológicos na noite de 14 de julho de 2021.

Além disso, as autoridades também não foram capazes de levar os residentes para um local seguro. "Essa operação, de acordo com as primeiras suspeitas, claramente não foi realizada, ou foi realizada sem a clareza necessária ou com atraso", destaca a Procuradoria. As falhas teriam resultado em várias mortos e dezenas de feridos. A maioria das fatalidades ocorreu em Bad Neuenahr-Ahrweiler.

Pföhler é o foco da investigação porque tinha "autoridade exclusiva para tomar decisões" e deveria ser o responsável pela operação, de acordo com a regulamentação em vigor. Uma outra pessoa, cuja identidade não foi revelada, também é investigada. Ela assumiu o comando da resposta de emergência em parte do período, informam os procuradores.

A acusação ressalta que, por enquanto, o inquérito se baseia "num status de informação nublado por incertezas e lacunas". "As investigações a ser realizadas devem exigir algum tempo, portanto não se pode esperar resultados rápidos", esclarece o comunicado.

Sistema de alerta falho

A catástrofe das enchentes na Alemanha trouxe à tona uma discussão sobre formas eficientes de avisar a população sobre eventos meteorológicos graves. O país  está estudando várias maneiras de melhorar seu sistema de alerta de desastres, incluindo a implementação de notificações por meio de telefones celulares.

Pelo menos 141 morreram e 16 seguem desaparecidas no estado da Renânia-Palatinado, onde fica parte do Vale do Ahr. Ao todo, cerca de 189 indivíduos perderam a vida nas enchentes em todo o oeste da Alemanha. 

As inundações também afetaram a Bélgica, causando 38 mortes. A Justiça do país também investiga possíveis responsabilidades criminais relativas à falta de cautela e de alertas.

le/av (AFP,ots)