Alemanha vai acolher centenas de menores refugiados da Grécia | Notícias internacionais e análises | DW | 08.04.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Mundo

Alemanha vai acolher centenas de menores refugiados da Grécia

Ministro do Exterior alemão critica outros países europeus pela falta de iniciativa em receber crianças desacompanhadas das ilhas gregas, em meio à pandemia de coronavírus. Luxemburgo também deverá receber menores.

Crianças seguram cobertores sobre a cabeça em campo de refugiados nas ilhas gregas

Vários campos de refugiados na Grécia abrigam hoje cerca de 100 mil migrantes – e muitos sofrem com superpopulação

O governo alemão deverá acolher entre 350 e 500 menores refugiados desacompanhados nas próximas semanas, segundo anunciou o ministro do Exterior do país, Heiko Maas, nesta quarta-feira (08/04). A decisão foi tomada em meio a preocupações sobre a rápida disseminação do coronavírus e superpopulação em campos de refugiados nas ilhas gregas. 

Na próxima semana, até 50 crianças deverão viajar dos campos nas ilhas gregas para a Alemanha, um anúncio que foi confirmado nesta quarta-feira pelo governo da chanceler federal Angela Merkel.

Segundo autoridades, os menores provavelmente passarão o período obrigatório de quarentena, de duas semanas, no estado da Baixa Saxônia, antes de serem redistribuídos a diferentes regiões do país. 

A Alemanha estaria organizando um voo fretado em conjunto com Luxemburgo. Este país deverá acolher 12 jovens que atualmente estão nas ilhas de Lesbos e Chios. O traslado para Luxemburgo deverá acontecer nos próximos dias em cooperação com a agência da ONU para refugiados (Acnur) e a Organização Internacional para as Migrações (OIM). 

Maas chegou a criticar outros países europeus, dizendo que, "com exceção de Luxemburgo, somos o único país que está disposto a acolher crianças". Ele acrescentou, em entrevista às emissoras RTL e n-tv, que "não queremos esperar mais tempo até que os outros ajam, e estamos começando agora". Ele disse estar seguro de que outros países seguirão o exemplo.

França, Portugal, Finlândia, Lituânia, Croácia e Irlanda também integram um programa europeu anunciado no início de março para acolher alguns dos 1.600 menores desacompanhados dos campos de refugiados nas ilhas gregas. O ministro alemão, porém, disse que esses países suspenderam os planos por causa das restrições e fechamentos de fronteiras impostos para conter a disseminação do vírus.

Há dezenas de campos de refugiados na Grécia abrigando atualmente cerca de 100 mil migrantes – e muitas das instalações sofrem com a superpopulação. Várias organizações internacionais vêm fazendo pressão por uma retirada mais veloz dos menores devido à ameaça da pandemia do coronavírus Sars-Cov-2, especialmente preocupante em locais vulneráveis e aglomerados como os campos de refugiados.

A Grécia descreveu as condições nos campos em algumas de suas ilhas como uma "bomba-relógio" de saúde. Há cerca de 40 mil requerentes de refúgio nos campos das ilhas gregas, principal porta de entrada da União Europeia (UE) para pessoas que fogem de conflitos no Oriente Médio e outros países.

Atenas vem exortando a UE a ajudar com a crise do novo coronavírus e prometeu proteger suas ilhas, onde nenhum caso foi registrado. O governo colocou um campo de refugiados em quarentena na Grécia continental depois que 23 requerentes de refúgio tiveram resultado positivo para o vírus.

Em fevereiro, dezenas de milhares de migrantes tentaram entrar na Grécia depois que a Turquia disse ter aberto as fronteiras para a UE, contrariando um acordo fechado em 2016 com o bloco em troca de auxílio para o acolhimento de refugiados sírios.

A corrida às fronteiras da Grécia foi retaliada fortemente por forças do governo daquele país, mas as tensões se acalmaram desde que a pandemia de coronavírus levou a Turquia a fechar suas fronteiras com a Grécia e a Bulgária.

RK/dpa/afp/rtr

_____________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 
App | Instagram | Newsletter

Leia mais