Alemanha tem novos locais na lista de Patrimônio Mundial da Unesco | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 24.07.2021

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Cultura

Alemanha tem novos locais na lista de Patrimônio Mundial da Unesco

Três cidades alemãs foram incluídas em um conjunto de estâncias termais e balneários europeus declarados patrimônios mundiais. Colônia de Artistas Mathildenhöhe, em Darmstadt, também foi reconhecida.

Foto mostra um imenso prédio em estilo clássico, às margens de um rio.

Bad Ems, na Renânia-Palatinado, é um dos balneários que integram o conjunto reconhecido pela Unesco

Um conjunto de grandes balneários e estâncias termais na Europa foi incluído neste sábado (24/07) na lista de Patrimônio Mundial da Unesco, por seu "testemunho excepcional" dessa prática entre o século 18 e o começo do século 20.

Os balneários estão espalhados por sete países e três deles ficam na Alemanha: Bad Ems, Baden-Baden e Bad Kissingen. Os demais são Baden bei Wien (Áustria), Spa (Bélgica), Karlovy Vary, Frantiskovy Lazne e Marianske Lazne (República Tcheca), Vichy (França), Montecatini Terme (Itália) e Bath (Reino Unido).

Além das três cidades, a Alemanha ainda teve incluída na lista a chamada Colônia de Artistas Mathildenhöhe, em Darmstadt, e agora soma um total de 47 patrimônios da Unesco. Outros três locais alemães se candidataram e aguardam decisão. 

O comitê do Patrimônio Mundial, em reunião anual, na China, disse que o grupo listou "as cidades-balneários mais modernas, dinâmicas e internacionais entre as muitas centenas que contribuíram para o fenômeno do spa europeu".

Foto mostra a parte interna de um prédio. No meio, há uma espécie de piscina. No teto, há vitrais.

Bad Kissingen, na Baviera, projeta receber mais turistas após a inclusão na lista

A partir do século 18, estruturas arquitetônicas sem paralelo na história foram erguidas em torno de águas termais naturais, formando a base para a cultura de balneários na Europa. O conhecimento tradicional sobre o poder curativo da água, tanto durante o banho quanto no consumo, foi sistematicamente examinado e aplicado, e as cidades termais com suas fontes tornaram-se locais de cura e relaxamento.

"Embora cada balneário seja diferente, todos se desenvolveram em torno de fontes de água mineral, que foram o catalisador de um modelo de organização espacial voltado para funções curativas, terapêuticas, recreativas e sociais", disse o comitê.

"Nestes locais glamorosos de saúde, lazer e convívio, surgiram protótipos arquitetônicos e uma tipologia urbanística sem paralelo anterior", descreveu a cidade de Baden-Baden.

O prefeito de Bad Kissingen, Dirk Vogel, comemorou a decisão e viu a inclusão na lista como uma grande oportunidade para a pequena cidade da Baviera. Ele acredita que a cidade terá um impulso turístico. "Com o reconhecimento, estamos agora na Champions League na percepção pública das cidades alemãs", disse em um vídeo publicado no site do município.

Mathildenhöhe: precurssora da Bauhaus

O conjunto Art Nouveau da Colônia de Artistas Mathildenhöhe, em Darmstadt, também foi incluído na Lista do Patrimônio Mundial da Unesco. O local, considerado um precursor da Bauhaus, foi fundado em 1899 pelo grão-duque Ernst Ludwig de Hesse e habitado até o início da Primeira Guerra Mundial.

Foto mostra, à esquerda, uma torre. Há uma espécie de piscina e uma construção que se assemelha a uma capela.

Mathildenhöhe foi um dos principais centros artísticos europeus no começo do século 20

Por 14 anos, de 1901 a 1914, Mathildenhöhe foi um dos mais importantes centros de arte e arquitetura da Europa e do mundo. Lá se desenvolveu a ideia de reduzir o design a linhas claras e menos ornamentação. Situado próximo do centro da cidade, o local se converteu em um campo experimental para inovações artísticas.

Liverpool excluída da lista

Além da inscrição de novos locais na lista do Patrimônio Mundial, o comitê da Unesco também tem o poder de removê-los quando seu "valor universal excepcional" não for mais considerado presente.

No início da semana, a orla histórica de Liverpool, no Reino Unido, se tornou o terceiro local da história a ser removido da lista da Unesco, inaugurada em 1972. De acordo com o comitê, o desenvolvimento excessivo de prédios ao redor da orla ameaça a autenticidade do local.

O porto de Liverpool tinha sido classificado em 2004 pela Unesco como Patrimônio Mundial após um ambicioso plano de recuperação das docas que se encontravam em estado de degradação há várias décadas.    

A Lista do Patrimônio Mundial da Unesco inclui mais de 1.100 locais culturais e naturais, em 167 países. Atualmente, o Brasil conta com 22 bens inscritos na lista, 14 deles culturais, um misto e sete naturais.

le/ek (DPA, AFP, Lusa, ots)