Alemanha registra primeiras mortes por coronavírus | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 09.03.2020

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Alemanha

Alemanha registra primeiras mortes por coronavírus

Mulher de 89 anos e homem de 78 anos morreram em hospitais de Heinsberg e Essen, na região mais afetada pelo covid-19 no país. Número de infecções na Alemanha passa de mil.

Fachada de hospital de Essen que registrou morte por coronavírus na Alemanha

Alemanha tem 1.167 casos confirmados do novo coronavírus

A Alemanha registrou nesta segunda-feira (09/03) duas mortes causadas pelo novo coronavírus. São os primeiros casos fatais registrados no país europeu.

De acordo com o Ministério da Saúde alemão, as mortes ocorreram em Heinsberg e em Essen. As duas cidades ficam no estado da Renânia do Norte-Vestfália, o mais populoso do país, no oeste. O estado está no centro dos registros de infecções, concentrando 515 dos 1.167 casos confirmados na Alemanha.

A vítima de Essen é uma mulher de 89 anos, que testou positivo para o vírus em 3 de março. "Eu lamento essa morte profundamente", disse o prefeito da cidade, Thomas Kufen. Segundo as autoridades locais, a paciente já estava bastante debilitada quando foi internada. O município tem cinco casos de coronavírus confirmados até o momento.

As autoridades de Heinsberg, por sua vez, afirmaram que a morte registrada na cidade envolveu um homem de 78 anos, que paralelamente sofria de doenças crônicas, como problemas cardíacos e diabetes. Ele havia sido internado na última sexta-feira.

Alguns dos primeiros casos de coronavírus na Alemanha foram registrados na cidade, ainda em fevereiro, quando o município celebrava o Carnaval local.

No domingo, já havia sido registrada a primeira morte de um cidadão alemão pelo coronavírus, mas fora do país. O caso envolveu um homem de 60 anos, que estava internado num hospital no Egito. Ele havia chegado ao país uma semana antes. Ainda não está claro onde ele contraiu a doença.

Também nesta segunda-feira, as autoridades do estado de Brandemburgo anunciaram que determinaram que entre 4.000 e 5.000 pessoas permaneçam em quarentena após professores de uma escola em Neustadt-Dosse, localizada a cerca de 90 quilômetros de Berlim, terem entrado em contato com um mulher que testou positivo para o covid-19. A medida atinge os 730 alunos da escola, funcionários e seus parentes.

Até o momento, a Alemanha vem registrando um impacto menor dos efeitos do coronavírus do que outros países da União Europeia, como a Itália, onde 463 pessoas já morreram e mais de 9.000 foram infectados.

Ainda assim, a chanceler federal da Alemanha, Angela Merkel, pediu uma luta enérgica contra a propagação do vírus e advertiu que o país ainda pode experimentar uma onda de infecções nos próximos meses. "A maneira mais eficaz de combater o vírus é retardar sua disseminação", disse Merkel.

Já o ministro da Saúde, Jens Spahn, afirmou que está considerando pedir o cancelamento de eventos com mais de 1.000 participantes para diminuir a propagação do vírus.

Em todo o mundo, mais de 110 mil pessoas já foram infectadas pelo vírus em 94 países e territórios. Mais de 3.800 pacientes morreram. O Brasil tem 25 casos confirmados.

JPS/afp/dpa/ots

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 
App | Instagram | Newsletter

 

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados