1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Telefone celular mostra dados da pandemia na Alemanha
É a primeira vez que a Alemanha registra mais de 250 mil casos em um diaFoto: Rüdiger Wölk/imago images

Alemanha registra novo recorde de casos diários de covid-19

10 de março de 2022

País contabiliza mais de 260 mil infecções em 24 horas. Autoridades renovam pedido para que a população se vacine, em meio a alertas de uma sexta onda da doença.

https://p.dw.com/p/48Jpt

Após semanas de queda nos números da pandemia na Alemanha, o país registrou nesta quinta-feira (10/03) um novo recorde da contagem de casos diários de covid-19.

Segundo o Instituto Roberto Koch (RKI), a agência de controle e prevenção de doenças do país, foram registradas 262.752 infecções em 24 horas, além de 259 mortes. Há uma semana, o país havia contabilizado 210.673 casos em 24 horas, bem abaixo do patamar atual.

A taxa de incidência em 100 mil pessoas durante um período de sete dias – que serve como referência para a adoção de medidas preventivas por parte do governo – aumentou para 1.388,5.  No dia anterior, esse índice era de 1.319,0, e há uma semana, 1.174,1.

Os dados revelam um novo aumento das infecções pela variante ômicron, provavelmente impulsionadas pela subvariante BA.2. Autoridades alertam que se a situação não for controlada, o país poderá registrar durante várias semanas entre 200 e 300 mortes diárias.

Desde meados de fevereiro, a Alemanha vinha registrando uma tendência de queda nas infecções, o que acabou se revertendo na semana passada. O aumento dos números da doença já começa a gerar alertas de uma sexta onda de covid-19 no país, e levou as autoridades a renovarem os pedidos para que as pessoas se vacinem.

Vacinação a passos lentos

O ministro alemão da Saúde, Karl Lauterbach, alertou que o número de pessoas não vacinadas no país ainda é muito alto e que "sem um aumento significativo nos índices de vacinação, teremos novamente problemas consideráveis" no outono no hemisfério norte, que se inicia em meados de setembro.

Até o momento, 75,7% da população está vacinada com as duas primeiras doses dos imunizantes, e 57,6% com a dose de reforço.

Muitos já contavam com um aumento das infecções após o verão, na metade do ano, mas já surgem alertas de que a situação poderá se complicar ainda mais cedo. Os especialistas presumem que os números reais da doença sejam mais altos, em razão das dificuldades de obter dados sobre pessoas infectadas e rastrear seus contatos.

A Alemanha está prestes a iniciar a terceira fase do relaxamento das restrições para conter a doença, com a eliminação de quase todas as medidas no dia 20 de março.

rc/ek (DPA)

Pular a seção Mais sobre este assunto
Pular a seção Conteúdo relacionado

Conteúdo relacionado