Alemanha reforça restrições para conter pandemia de coronavírus | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 16.03.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Alemanha

Alemanha reforça restrições para conter pandemia de coronavírus

Governo determina fechamento de boa parte do comércio, proíbe viagens de ônibus de longa distância e recomenda cancelamento de férias no país e exterior. Merkel pede que cidadãos permaneçam em casa e sigam orientações.

Angela Merkel

"São medidas sem precedentes no país", disse Merkel

A Alemanha anunciou nesta segunda-feira (16/03) novas restrições na vida pública para tentar conter a pandemia de novo coronavírus, entre elas o fechamento de boa parte do comércio e a proibição de viagens turísticas em todo o território. Até o momento, mais de 7.200 casos da Covid-19 foram registrados no país, com 17 mortes.

"Nós precisamos de medidas drásticas para diminuir as infecções", afirmou a chanceler federal, Angela Merkel, em Berlim, enfatizando que "medida mais eficiente" contra o vírus é "aumentar a distância entre as pessoas".

De acordo com Merkel, as restrições que serão implementadas em todo o país visam reduzir os contatos sociais e manter a economia, "na medida do possível", e o sistema de saúde em funcionamento.

O país determinou ainda o fechamento de boa parte do comércio. Apenas supermercados, farmácias, bancos, correios, postos de gasolina, lojas de produtos de higiene e de material de construção continuarão funcionado e, inclusive, poderão ser abertos aos domingos para evitar a aglomeração de pessoas nestes locais.

Restaurantes podem funcionar apenas entre 6h e 18h, se mantiverem uma distância de segurança entre os clientes. Todos os espaços culturais, museus, cinemas, academias, bares, casas noturnas e parques públicos de diversão para crianças também devem permanecer fechados. Foi proibida a realização de cerimônias religiosas, reuniões de associações e viagens de ônibus de longa distância.

A Alemanha recomendou ainda que viagens de turismo pelo país e no exterior sejam canceladas. Foram determinadas restrições de visitas a hospitais e asilos. Turistas também não devem ser mais aceitos em hotéis. As medidas entram em vigor imediatamente.

Merkel pediu que os cidadãos cumpram as recomendações e regras. "São medidas sem precedentes no país", afirmou. A chanceler destacou que haverá controle e disse esperar a compreensão de todos.

Diversos estados alemães já haviam anunciado na semana passada o fechamento de escolas para tentar conter o avanço da pandemia. O país também fechou as fronteiras.

O Instituto Robert Koch, que está coordenado a resposta ao surto, pediu que evitem as chamadas "festas corona", ou seja, festas realizadas em casa devido ao fechamento de bares e casas noturnas. "Fique em casa sempre possível e reduza o contato social o máximo possível", afirmou o vice-presidente do instituto, Lars Schaade.

O estado de Baden-Württemberg, um dos mais atingidos pelo surto, anunciou também o fechamento de todos os aeroportos da sua região.

A restrições de viagens na Alemanha vão de encontro a uma proposta da presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, que nesta segunda-feira recomendou que o acesso aos países da União Europeia a partir do exterior seja restringido durante 30 dias para conter a propagação do coronavírus.

A medida deverá ser debatida pelos líderes do bloco na cúpula por videoconferência que acontecerá amanhã. As exceções para a entrada seriam para cidadãos da UE em retorno para casa, funcionários da saúde, cientistas que trabalham numa cura para a doença e pessoas que trabalham em um país vizinho e que têm de atravessar a fronteira para fazê-lo.

CN/efe/dpa/rtr/afp

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 
App | Instagram | Newsletter

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados