Alemanha precisa esclarecer papel na ditadura argentina, diz Steinmeier | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 03.06.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Alemanha precisa esclarecer papel na ditadura argentina, diz Steinmeier

Em Buenos Aires, ministro alemão do Exterior se reúne com familiares de vítimas do regime militar e presta homenagens aos mortos. Cerca de 30 mil pessoas foram assassinadas na Argentina entre 1976 e 1983.

Em Buenos Aires, Steinmeier homenageou vítimas da ditadura

Em Buenos Aires, Steinmeier homenageou vítimas da ditadura

O ministro alemão do Exterior, Frank-Walter Steinmeier, afirmou nesta sexta-feira (03/06) que a Alemanha precisa esclarecer seu papel no destino de vítimas da ditadura militar na Argentina.

"Há muito a se dizer ainda sobre análises retrospectivas. Esses casos precisam ser examinados intensivamente", disse Steinmeier, durante a visita ao Parque da Memória, em Buenos Aires.

Em homenagem aos mortos durante o regime militar argentino, o ministro alemão jogou flores no Rio da Prata. Cerca de 30 mil pessoas foram assassinadas na Argentina entre 1976 e 1983.

Steinmeier se encontrou ainda com familiares das vítimas e disse que a "crueldade do passado" não pode ser esquecida. O ministro ressaltou que para isso é necessário o esclarecimento sobre o papel do Ministério do Exterior da Alemanha e da embaixada alemã durante a ditadura.

Ao menos 70 alemães e descendentes de alemães foram mortos durante o regime militar no país. A vítima mais conhecida é a estudante Elisabeth Käsemann que foi assassinada aos 30 anos em maio de 1977.

As famílias das vítimas acusam a embaixada alemã em Buenos Aires de não ter protegido devidamente os cidadãos alemães na época, por interesses políticos e econômicos.

No final de abril, o Ministério do Exterior alemão tornou público os arquivos secretos sobre Colonia Dignidad. A colônia alemã no Chile foi palco de crimes que vão desde abusos sexuais de menores a tortura de opositores da ditadura de Augusto Pinochet.

Viagem pela América Latina

Na Argentina, o ministro alemão se reuniu ainda com o presidente Mauricio Macri, em Buenos Aires, na quinta-feira. O objetivo do encontro foi organizar detalhes da viagem de Macri à Alemanha, programada para o início de julho.

Depois de dois dias na Argentina, Steinmeier segue para o México, onde abrirá o "Ano da Alemanha" no país.

CN/dpa/efe

Leia mais