Alemanha inaugura moderna estação sobre pilotis na Antártida | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 20.02.2009
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Alemanha inaugura moderna estação sobre pilotis na Antártida

Alemanha inaugura uma das mais modernas estações de pesquisa da Antártida. A novidade da Neumayer III é que ela pode ser elevada até um metro por ano através de um sistema de elevador hidráulico.

default

Estação será ocupada o ano inteiro

Com transmissão ao vivo da Antártida, foi inaugurada nesta sexta-feira (20/02) a estação polar alemã Neumayer III, uma das mais modernas estações de pesquisa no continente gelado. Após meses de construção entre tempestades de neve e muito frio, a nova base de pesquisa foi erguida para substituir a antecessora, a Estação Antártida Neumayer II.

A nova base, que custou 39 milhões de euros, será administrada pelo Instituto Alfred Wegener de Pesquisa Polar e Marinha (AWI), de Bremerhaven, no norte da Alemanha, e funcionará durante todo o ano, podendo abrigar, em meses de verão, cerca de 30 pesquisadores. No inverno, esse número diminui para nove.

Diferentemente de sua antecessora, Neumayer III não será enterrada por uma camada de neve todos os anos. Pesquisadores precisavam atravessar um túnel para entrar na Neumayer II, subterrada a 12 metros da superfície, e tinham que trabalhar no escuro durante o inverno antártico, que dura até nove meses.

A novidade tecnológica da nova estação polar alemã está em ser apoiada em 16 pilotis, que funcionam como pistões de um elevador hidráulico. A nova base polar, de 2.300 toneladas, poderá ser elevada até um metro por ano, ou seja, ela sobe com a neve e mantém constante a altura em relação à superfície de gelo.

Prevista para 25 a 30 anos de funcionamento

Antarktis Forschungsstation Neumayer

Pilotis funcionam como pistões hidráulicos

Os pesquisadores do AWI estão concentrados em cinco áreas: meteorologia, geofísica, química do ar, infrassom e acústica marinha. Na Neumayer III, os cientistas irão coletar dados climáticos, medir a concentração de gases do efeito estufa na atmosfera, covigiar a proibição de testes nucleares e ajudar na pesquisa das baleias.

A estação também funcionará como base para excursões ao interior da Antártida. Ela não está construída sobre o continente, mas sobre uma camada de gelo de 200 metros de espessura, a 8° de longitude leste.

Apesar de estar ligada ao continente, a plataforma de gelo Ekström, próxima à baía Atka, desloca-se 157 metros anualmente em direção ao norte, flutuando sobre o Atlântico e carregando consigo a estação polar alemã. Prevista para 25 a 30 anos de funcionamento, a nova estação terá se deslocado de 3,9 a 4,7 quilômetros após esse prazo.

Neumayer III possui 12 laboratórios, 15 compartimentos de dormir, escritórios, biblioteca e diversas possibilidades de lazer para os pesquisadores: cinema, lounge bar , sala de ginástica e até uma sauna, para que os cientistas possam aguentar a escuridão do inverno e temperaturas de até 50 graus negativos.

Energia de motores a diesel

A estação é composta por diversos contêineres individuais, que foram transportados por navio da Cidade do Cabo, na África do Sul, e montados na Antártida. Ela é revestida por uma camada metálica isolante de 12 centímetros e funciona em parte com energia eólica e com geradores a diesel.

Como explicou o professor Heinrich Miller, vice-diretor do AWI, usa-se tecnologia solar somente de forma isolada na Neumayer III, já que nos meses de inverno o sol não aparece. Um gerador eólico também fornece energia, mas sua potência depende da velocidade do vento. Devido a experiências anteriores, a nova estação funciona com motores a diesel.

Ao inaugurar a estação, através de um apertar de botão transmitido ao vivo para os ocupantes da Neumayer III, a ministra alemã da Educação e Pesquisa, Annette Schavan, afirmou em Berlim que "uma nova era se inicia para os cientistas no gelo" e que a nova base seria "uma obra-prima da engenharia e um laboratório com possibilidades até então desconhecidas".

Leia mais