1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Foto mostra corpos, ao longe, no meio de uma rua
Após a saída de tropas russas, centenas de corpos foram ecnontrados nas ruas de BuchaFoto: RONALDO SCHEMIDT/AFP

Alemanha expulsa 40 diplomatas russos

4 de abril de 2022

Afetados, que Berlim acredita serem membros dos serviços de inteligência da Rússia, têm cinco dias para deixar o país. Decisão ocorre um dia após repercussão das imagens de massacre na cidade ucraniana de Bucha.

https://p.dw.com/p/49SGU

Um dia após as imagens de  civis mortos pelas ruas da cidade ucraniana de Bucha chocarem o mundo, o governo alemão declarou nesta segunda-feira (04/04) 40 diplomatas russos como "persona non grata", o que equivale ao status de expulsão. Os diplomatas, que Berlim acredita serem membros dos serviços de inteligência da Rússia, têm cinco dias para deixar a Alemanha.

Segundo a ministra das Relações Exteriores da Alemanha, Annalena Baerbock, o governo alemão decidiu "declarar como persona non grata ​​um número significativo de membros da Embaixada da Rússia que trabalharam todos os dias contra nossa liberdade e contra a coesão de nossa sociedade aqui na Alemanha". "Não vamos tolerar mais isso", disse a ministra.

A decisão foi comunicada ao embaixador russo em Berlim, Sergei Nechayev, na tarde desta segunda-feira. De acordo com a agência de notícias Interfax, que citou fontes do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Moscou deve reagir à decisão e expulsar diplomatas alemães. 

Sobre as atrocidades cometidas pelas tropas russas na cidade ucraniana de Bucha, Baerbock disse que as imagens "demonstram a inacreditável brutalidade da liderança russa" e daqueles que seguem sua propaganda, "de uma vontade de aniquilar que transcende todas as fronteiras".

"Devemos combater essa desumanidade com a força de nossa liberdade e de nossa humanidade", disse a ministra. 

Depois que as tropas russas se retiraram do subúrbio de Kiev, corpos foram descobertos em Bucha, nas proximidades da capital ucraniana, muitos deles com as mãos amarradas. A Ucrânia culpa as tropas russas, que até recentemente ocupavam a pequena cidade, pelo massacre. Moscou nega.

Novas sanções

Baerbock enfatizou que o governo alemão, em conjunto com seus aliados, penalizará a Rússia e seguirá apoiando a Ucrânia.

"Vamos reforçar ainda mais as sanções existentes contra a Rússia, aumentaremos resolutamente nosso apoio às forças armadas ucranianas e fortaleceremos o flanco leste da Otan", destacou.

Na semana passada, a Bélgica expulsou 21 diplomatas russos por acusações de espionagem. O ministro das Relações Exteriores holandês também anunciou que 17 diplomatas russos seriam expulsos pelo mesmo motivo. A República Tcheca expulsou um diplomata russo do país.

le (dpa, ots)

Pular a seção Mais sobre este assunto