Alemães temem inflação, velhice e desastres naturais | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 07.09.2008
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Alemães temem inflação, velhice e desastres naturais

Pesquisa divulgada esta semana revelou que atualmente mais alemães temem a inflação do que em qualquer outra época nos últimos 20 anos. No entanto, o medo de ataques terroristas está mais moderado do que no ano passado.

default

Alta dos preços de alimentos preocupa alemães

A preocupação com a alta dos preços de alimentos e do custo de vida é a mais aguda entre mais de três quartos dos consumidores entrevistados – a maior percentagem desde que a companhia de seguros R+V começou a pesquisar os medos dos alemães, em 1991.

Conforme o medo da alta do custo de vida aumenta, diminui a confiança na economia alemã. Cerca de 58% dos entrevistados acreditam que a economia esteja piorando.

O medo da inflação lidera o estudo periódico da R+V durante muitos anos. Em 2008, 76% dos 2.400 participantes disseram que o aumento de preços era a coisa que mais lhes preocupava. No ano anterior, 66% a colocaram no topo da lista.

Embora o medo de guerras e terrorismo tenha diminuído de 50% para 41% dos entrevistados, do ano anterior para 2008, a preocupação com catástrofes naturais foi elevada.

Prospectos econômicos são azedos

Radfahrer in der Flut

Enchentes estão entre os desastres naturais que causam medo à população

Especificamente, as pessoas estão mais preocupadas com os preços dos alimentos e de energia, o que afetou diretamente sua opinião sobre a economia, concluiu o estudo.

Os alemães acham que a economia se deteriorou, embora na realidade ela esteja em relativa boa forma, de acordo com Manfred Schmidt, da Universidade de Heidelberg.

"O medo profundo da inflação foi alimentado, e os medos do futuro foram despertados", observou Schmidt.

Idade avançada e doenças também preocupam

De acordo com Schmidt, os medos com relação ao futuro explicam por que o número de pessoas que temem perder seu padrão de vida quando estiverem mais velhos aumentou em três pontos percentuais, subindo para 41% neste ano.

Além disso, "fortes chuvas, enchentes e tempestades de granizo mantêm o medo que os alemães têm de catástrofes naturais em alta", revelou o estudo.Outros temas que estão tirando o sono dos alemães são a velhice, doença e tratamento médico domiciliar. Mais da metade dos entrevistados se manifestou preocupada com a necessidade de cuidados médicos em casa ou de ficarem seriamente doentes.