Ai Weiwei encara acusação de sonegação de impostos | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 16.11.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Ai Weiwei encara acusação de sonegação de impostos

Artista chinês Ai Weiwei deposita caução milionária exigida pelas autoridades para poder contestar uma multa fiscal. Ele disse que quer aproveitar a situação para mostrar ao mundo "com que sistema estamos lidando".

Weiwei após o depósito que lhe garante recursos judiciais

Weiwei após o depósito que lhe garante recursos judiciais

"Podemos encarar isso como uma oportunidade para mostrar ao mundo com que tipo de sistema estamos lidando", disse o artista chinês Ai Weiwei, de 54 anos, à agência de notícias AFP nesta quarta-feira (16/11), referindo-se à cobrança de uma multa fiscal de 15 milhões de yuans (cerca de 1,7 milhão de euros) pelo governo chinês.

Ele anunciou ter depositado nesta terça-feira uma caução de 8,45 milhões de yuans, alcançada com o dinheiro de doações, numa conta especial, ressalvando que não se tratava de um pagamento, mas de uma garantia.

Segundo o advogado de Ai Weiwei, a caução era uma exigência do governo chinês para que o artista pudesse recorrer da multa fiscal. Esta, na opinião do artista, tem motivos políticos.

O governo chinês acusa o dissidente de não ter pagado os impostos relacionados a seu ateliê de design Beijing Fake Cultural Development nos últimos dez anos. E cobra agora uma multa de 15 milhões de yuans.

Weiwei se recusa a pagar o valor definido, pois afirma tratar-se de um meio que o governo chinês encontrou para "quebrá-lo". Nas atuais circunstâncias, o artista está proibido de deixar o país. Se vier a ser condenado por sonegação de impostos, poderá pegar sete anos de cadeia.

Dinheiro de apoiadores

Hongkong China Menschenrechte Demonstration für Ai Weiwei

Muitos chineses apoiam a luta do artista e dissidente

Ai Weiwei anunciou que dispunha do dinheiro da caução graças a doações feitas por pessoas que simpatizam com o seu trabalho e a sua luta. Segundo ele, todo o dinheiro foi doado por apoiadores, e 95% da soma veio da China.

As primeiras doações começaram a chegar ao artista pouco depois de Ai Weiwei ter recebido das autoridades o aviso de que teria que pagar uma multa fiscal milionária.

Os chineses solidários com o atual acusado usaram diversas maneiras para fazer as doações: alguns optaram pela transferência bancária, enquanto outros simplesmente atiraram dinheiro no jardim da casa de Weiwei.

A atitude dos apoiadores do artista, de dar dinheiro a ele, dá a esperança de um futuro melhor na China, afirmou o jornalista Yin Deyi.

A prisão de Weiwei no início de abril gerou grande indignação em grupos de defesa dos direitos humanos. O artista esteve detido por 81 dias sem uma acusação formal

Autora: Alina Alpert (br)
Revisão: Alexandre Schossler

Leia mais