″Achei o menino deitado sob os destroços″ | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 19.08.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

"Achei o menino deitado sob os destroços"

Em entrevista a jornal alemão, socorrista que resgatou garoto após bombardeio em Aleppo pede ajuda internacional para acabar com ataques aéreos na cidade. Imagem da criança ferida rodou o mundo.

Omran D., de cinco anos, e a irmã numa ambulância após bombardeio em Aleppo, na Síria

O pequeno Omran e sua irmã, também ferida no bombardeio

Após a imagem de um menino de cinco anos ferido num bombardeio na cidade síria de Aleppo chocar o mundo, o tabloide alemão Bild entrevistou o socorrista que salvou o garoto.

"Eram cerca de 8h30 quando conduzi a ambulância a uma casa no bairro de Al-Qatergui. Estava tudo cheio de destroços e poeira após o bombardeio. Quando desci da ambulância, vi o menino deitado sob os destroços", disse Ammer Hamami, citado pelo Bild nesta sexta-feira (19/08).

Após sentar o menino, identificado como Omran D., numa cadeira da ambulância e resgatar os demais membros da família, Hamami os conduziu a um hospital – algo perigoso em meio a bombardeios do regime sírio e da Rússia.

Assistir ao vídeo 00:59
Ao vivo agora
00:59 min

Menino sírio retirado dos escombros

O ataque ao prédio onde Omran e seus familiares viviam deixou três mortos. Os três irmãos e os pais do garoto sobreviveram, mas não querem voltar para casa. "Os moradores desse bairro têm medo de voltar, porque os aviões de combate russos não param de bombardear a área", disse Hamami ao Bild.

"É um genocídio o que acontece aqui. Nós e nossas crianças somos bombardeados pela Força Aérea russa, e os governos europeus ficam observando", criticou. "Não precisamos de ajuda humanitária, precisamos da ajuda do mundo para que os bombardeios sistemáticos de Bashar al-Assad [presidente sírio] e seus aliados contra nós finalmente acabem."

O fotojornalista Mahmud Raslan, que capturou a imagem de Omran transformada num novo símbolo da guerra síria, afirmou que o menino já está melhor e junto com a família.

LPF/ots

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados