Abrigos alemães interrompem adoções de animais no Natal | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 09.12.2018

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Alemanha

Abrigos alemães interrompem adoções de animais no Natal

Para evitar presentes adquiridos por impulso, instituições em todo país suspendem adoção de bichos até o final do ano. Muitos acabavam abandonados pouco tempo depois do Natal.

Gato no abrigo de animais de Berlim

Abrigo de animais de Berlim é o maior da Europa

Vários abrigos de animais na Alemanha suspenderam a adoção no período do Natal. A iniciativa procura proteger cães, gatos e coelhos do abandono após serem levados dos locais por impulso como presente natalino.

No abrigo de animais em Berlim, o maior da Europa, a adoção será interrompida entre 19 e 27 de dezembro. "É para evitar os presentes impulsivos", afirmou uma porta-voz do local. Segundo ela, muitos animais são escolhidos a curto prazo sem pensar, possivelmente, por falta de ideia ou sem consultar a família.

Assistir ao vídeo 00:48

O maior abrigo de animais da Europa

Frequentemente, os desejos das crianças costumam mudar rápido e o presente acaba se tornando uma péssima ideia. Segundo os abrigos, muitos dos animais adotados neste período são devolvidos ou acabam abandonados.

A pausa na adoção tem dado resultado nos últimos ano. Em Bremen, por exemplo, desde a mudança, a devolução de coelhos, hamsters e periquitos diminuiu significativamente após o período de festas de final de ano. "Antigamente depois da ceia de Natal podíamos sair recolhendo os animais abandonados", afirmou a porta-voz do abrigo, Gabriele Schwab.

No estado alemão da Baixa Saxônia, todos os 74 abrigos adotaram a proibição neste ano. "Um animal deve ser adquirido com muita consciência. Não é apropriado como um presente surpresa de Natal", afirmou Dieter Ruhnke, da Associação de Proteção ao Animal Doméstico da Baixa Saxônia, ao jornal Hannoversche Allgemeine.

Segundo o abrigo de Braunschweig, muitos animais são devolvidos não imediatamente após o fim do ano, mas entre fevereiro e março, quando se percebe o trabalho que dá cuidá-los.

Para evitar o abandono, muitas lojas especializadas na Alemanha também deixam de vender animais neste período do ano.

CN/dpa/ots

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 

WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais