1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Waffen brasilianischer Hersteller Taurus
Foto: picture-alliance/dpa
Sociedade

61% dos brasileiros querem que posse de armas seja proibida

31 de dezembro de 2018

Índice cresceu seis pontos percentuais em relação a levantamento realizado em outubro. Pesquisa Datafolha também aponta que 68% são contra facilitar acesso a armas.

https://www.dw.com/pt-br/61-dos-brasileiros-querem-que-posse-de-armas-seja-proibida/a-46909609?fbclid=IwAR1sSZfhM-QANuZ6jFcUmBO6liASi52GKIF9D6y2IALcC4Qc7-eotcxqD8U

O percentual de brasileiros que são contrários à liberação da posse de armas de fogo aumentou, de acordo com uma pesquisa Datafolha divulgada nesta segunda-feira (31/12). No total, seis em cada dez brasileiros declararam que a posse de armas deve ser proibida, pois "representa ameaça à vida das pessoas”.

Em outubro, 55% dos entrevistados eram contrários à posse. Agora o percentual alcança 61%. Ainda segundo o Datafolha, o percentual de pessoas que considera a posse "um direito do cidadão para se defender” diminuiu, passando de 41%, em outubro, para 37% no levantamento mais recente.

Ainda segundo o Datafolha, homens, pessoas de maior renda  e heterossexuais são mais propensos a defenderem a posse de armas.  Enquanto 71% das mulheres são contra a posse, o percentual é de 51% entre os homens. Entre os entrevistados que ganham até dois salários mínimos, 32% defendem a posse. Já entre aqueles que ganham mais de dez salários, o percentual é de 54%. Já entre os gays, 77% são contra a posse de armas. Entre os heterossexuais, o índice é de 59%.

A pesquisa também mostrou disparidades regionais. O Nordeste concentrou o menor percentual de pessoas favoráveis à posse armas: 32%. Enquanto no Sul, 47% apoiam a posse. No Sudeste, o índice chegou a 35%.

Quando indagados se o acesso às armas deve ser facilitado, apenas 30% dos entrevistados responderam que sim. Destes, apenas 16% concordaram totalmente, enquanto 14%, parcialmente. Já 68% que disseram ser contrários ao afrouxamento das regras existentes.

O Datafolha informa que ouviu 2.077 pessoas em 130 municípios para realizar o levantamento.

Apesar de 61% rejeitarem a posse e o percentual ter aumentado nos últimos meses, o índice já foi mais alto. Em 2013, um levantamento Datafolha apontou que 68% eram contrários à posse.

Promessas de Bolsonaro

A facilitação do acesso e posse de armas foi uma das principais promessas de campanha do presidente eleito Jair Bolsonaro. No sábado, ele disse no Twitter que pretende assinar um decreto para "garantir a posse de arma de fogo para o cidadão sem antecedentes criminais, nem como tomar seu registro definitivo”. 

Hoje, para conseguir a posse de uma arma de fogo é preciso cumprir uma série de requisitos. Bolsonaro não especificou quais regras devem ser alteradas pelo decreto. Nos últimos anos, parlamentares favoráveis ao afrouxamento do Estatuto do Desarmamento levantaram a possibilidade de baixar a idade mínima para a posse (hoje 25 anos) e acabar com a necessidade de declarar a efetiva necessidade da arma.

O direito à posse permite a manutenção de armas em casa ou no local de trabalho. Já o porte de armas é proibido, salvo em casos excepcionais.

JPS/ots

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 
WhatsApp | App | Instagram | Newsletter