1982: Morre o cineasta alemão Fassbinder | Fatos que marcaram o dia | DW | 10.06.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Calendário Histórico

1982: Morre o cineasta alemão Fassbinder

O cineasta e autor alemão Rainer Werner Fassbinder morreu em 10 de junho de 1982 de overdose. Em 16 anos, o genial cineasta produziu mais de 40 filmes, entre os quais "O Casamento de Maria Braun" e "Lili Marleen".

Uma das principais figuras do cinema novo alemão, Rainer Werner Fassbinder nasceu em Bad Wörishoven, na Baviera, em 31 de maio de 1945, filho de um médico e de uma tradutora. Em 1951, os pais se separaram e ele passou a morar com a mãe, em Colônia. Quando esta adoeceu de tuberculose, Fassbinder foi internado num orfanato.

Em 1963, antes de concluir o nível médio, começou a estudar teatro na escola Fridl-Leonhard Studio, em Munique, onde conheceu Hanna Schygulla, que mais tarde seria sua atriz favorita. Seus dois primeiros curtas (Die Stadtstreicher e Das kleine Chaos) foram feitos em 1966.

Fassbinder foi cocriador do antiteatro, um coletivo de atores que chamou a atenção por suas produções anticonvencionais. Além disso, cofundou a Filmverlag der Autoren e ajudou a criar a sociedade produtora Tango Film. Em 1974, aceitou, embora por pouco tempo, a direção do Theater am Turm em Frankfurt. Neste contexto, seu amigo e colaborador Harry Baer falou de "uma vida sem fôlego" e citou-o dizendo "Posso dormir quando estiver morto".

Em pouco tempo, o cineasta consolidou seu estilo – econômico, político, seco, às vezes alegórico. Seus filmes criticavam o mundo burguês e, em especial, a Alemanha do pós-guerra e sua integração ao mundo ocidental, regida pela influência dos EUA.

Seu primeiro longa, em 1968, O amor é mais frio que a morte (Liebe ist kälter als der Tod) recebeu pouca atenção da crítica, mas o segundo, Katzelmacher, um melodrama sobre um trabalhador estrangeiro, recebeu o Prêmio do Cinema Alemão (Bundesfilmpreis) em 1970.

Rainer Werner Fassbinder bei Dreharbeiten zu Die Ehe der Maria Braun

Fassbinder nas gravações de "O casamento de Maria Braun" em 1978

Ano, aliás, marcado por sua alta produtividade: seis filmes, duas peças para rádio, além de várias peças e encenações teatrais. Em 1977, foi homenageado nos Estados Unidos, com 12 filmes seus sendo apresentados no Fassbinder Festival. O jornal New York Times o elogiou como o "jovem cineasta mais original, fascinante, talentoso e criativo da Europa Ocidental".

Urso de Ouro em 1982

De volta à Alemanha, o filme O Medo Devora a Alma (Angst essen Seele auf ), de 1974, causou polêmica no país ao tematizar, de forma muito sutil, o amor entre uma faxineira alemã de meia idade e um jovem trabalhador marroquino.

O primeiro grande sucesso de público veio em 1981, com Lili Marleen, baseado nas memórias da cantora Lale Andersen. No ano seguinte, o coroamento da carreira com o Urso de Ouro na Berlinale, o principal prêmio alemão de cinema, por O Desespero de Veronica Voss (Die Sehnsucht der Veronika Voss), enfocando a derrocada de uma ex-estrela de cinema.

Sua última obra foi Querelle, uma adaptação do livro de Jean Genet estrelada por Jeanne Moreau. Fassbinder morreu a 10 de junho de 1982 em seu apartamento em Munique, provavelmente pela ingestão conjunta de cocaína e sonífero.

O famoso cineasta alemão dirigiu 42 filmes e colaborou em mais alguns como ator, montador, roteirista ou em outras funções. A sua criação cinematográfica atingiu quase 60 produções. Uma obra impressionante para um homem que morreu aos 37 anos. Além disso, escreveu e encenou muitas peças de teatro, sem deixar de trabalhar, de formas variadas, para a televisão e rádio.

As principais obras de Rainer Werner Fassbinder:

  • O Soldado Americano (1970)
  • O Mercador das Quatro Estações (1971)
  • As Lágrimas Amargas de Petra von Kant (1972)
  • Martha (1974) - releitura do melodrama Tudo o Que o Céu Permite, de Sirk
  • Roleta Chinesa (1976)
  • Despair (1977)
  • O Casamento de Maria Braun (1978)
  • Lili Marleen (1980)
  • Berlin Alexanderplatz, série de 13 episódios para a televisão, baseada em romance de Alfred Döblin (1980)
  • Lola (1981)
  • O Desespero de Veronica Voss (1982)
  • Querelle (1982)

(rw)

Leia mais