1971: Jogos manipulados na Bundesliga | Os acontecimentos que marcaram o dia de hoje na História | DW | 06.06.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Calendário Histórico

1971: Jogos manipulados na Bundesliga

Em 6 de junho de 1971, explodiu o escândalo no campeonato alemão. Os principais jogos do campeonato haviam sido manipulados, envolvendo 52 jogadores, sendo 12 da seleção nacional, dois treinadores e seis cartolas.

default

Horst Gregorio Canellas

Enquanto os convidados festejavam o aniversário de 50 anos do comerciante de frutas e presidente do Offenbacher Kickers, Horst Gregorio Canellas, o anfitrião de repente ligou o gravador para apresentar gravações que deixaram os presentes estarrecidos. De forma inequívoca, foram apresentadas provas de que dezenas de jogadores haviam sido comprados e, por isso, deduziu-se que os resultados das últimas partidas do campeonato teriam sido manipulados.

A jovem Bundesliga, criada em 1963, estava à beira da derrocada depois de apenas oito campeonatos. E tudo por causa da vingança do dirigente de um clube que perdera a vaga entre a nata do futebol e foi rebaixado à segunda divisão.

Gregorio Canellas havia gravado os depoimentos que comprovavam a farsa. Seu time, o Kickers, da cidade de Offenbach, havia comprado por 100 mil marcos poucos dias antes a vitória de 2 a 1 contra o Schalke. A denúncia custou a licença do Kickers na Bundesliga.

Publico afastou-se dos estádios

Mais tarde, foi punido da mesma maneira o Arminia Bielefeld, que havia pago 40 mil marcos para ganhar do Schalke por 1 a 0. Os mais prejudicados, no entanto, foram os torcedores, que ainda acreditavam no caráter e na garra de seus ídolos. Em resposta, o público se afastou dos estádios.

A média de 30 mil espectadores por partida diminuiu à metade. No total, o lamaçal envolveu 52 jogadores, sendo 12 da seleção nacional, dois treinadores e seis cartolas. O promotor Hans Kindermann promoveu uma devassa entre as equipes acusadas e proibiu alguns jogadores de continuarem desempenhando a profissão.

Os observadores que acompanharam o caso criticaram o radicalismo dos dirigentes do futebol alemão e a delonga na apuração das acusações, que levou mais de quatro anos. Somente depois que o caso foi analisado em tribunal é que foram impostas sentenças consideradas mais "justas".

Os principais envolvidos no escândalo, corruptos e corruptores, foram condenados apenas a pagar multas. O final do episódio foi acompanhado só por poucos, já que o assunto diminuiu de interesse com a conquista do segundo título da Alemanha na Copa do Mundo de 1974.