Supremo Tribunal pede ″calma″ aos guineenses | Guiné-Bissau | DW | 10.01.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Guiné-Bissau

Supremo Tribunal pede "calma" aos guineenses

O Supremo Tribunal de Justiça da Guiné-Bissau diz que está a analisar o recurso do candidato derrotado nas eleições presidenciais e apelou à calma dos guineenses e de todos os interessados.

"O Supremo Tribunal de Justiça quer informar que o processo de recurso contencioso eleitoral interposto está a ser tratado, não há nenhuma decisão ainda, o processo está a seguir os seus trâmites legais contrariamente às informações veiculadas de que já existe decisão", informou o assessor de imprensa daquele órgão judicial Salimo Vieira.

Nas declarações aos jornalistas, Salimo Vieira pediu também "calma" e "paciência" aos guineenses e a "todos os interessados no processo".

"O Supremo Tribunal de Justiça está empenhado, está a trabalhar no assunto e na devida altura será conhecido o acórdão", salientou.

Na sequência da divulgação dos resultados provisórios da segunda volta das eleições presidenciais pela Comissão Nacional de Eleições (CNE), o candidato derrotado, Domingos Simões Pereira, apoiado pelo Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), interpôs um recurso no Supremo Tribunal de Justiça para pedir a recontagem dos votos, alegando irregularidades eleitorais.

Segundo os resultados provisórios, o general Umaro Sissoco Embaló, apoiado pelo Movimento para a Alternância Democrática (MADEM-G15), venceu o escrutínio com 53,55% dos votos, enquanto o candidato Domingos Simões Pereira conseguiu 46,45%.

O advogado Carlos Pinto Pereira, que representa Domingos Simões Pereira, afirmou quinta-feira que cerca de 110 mil votos foram manipulados e que só uma recontagem poderá determinar quem realmente venceu as eleições presidenciais no dia 29 de dezembro.

Assistir ao vídeo 02:35

Guiné-Bissau: Umaro Sissoco Embaló quer tomar posse a 15 de fevereiro

Leia mais