Presidente guineense minimiza declarações do ministro do Interior da Guiné-Conacri | Guiné-Bissau | DW | 24.10.2020

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Guiné-Bissau

Presidente guineense minimiza declarações do ministro do Interior da Guiné-Conacri

Em entrevista, ministro do Interior da Guiné-Conacri disse estar a seguir uma pista relativa à entrada de armas no país através da Guiné-Bissau. Umaro Sissoco Embaló afirmou tratar-se de "fake news".

O Presidente guineense, Umaro Sissoco Embaló, falava aos jornalistas no final do Conselho de Ministros, no Palácio do Governo, em Bissau, na sexta-feira (23.10).

Questionado sobre uma entrevista dada pelo ministro do Interior da Guiné-Conacri, Damantang Albert Camará, que disse estar a seguir uma pista relativa à entrada de armas no país através da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, afirmou tratar-se de notícias falsas.

"Isso é 'fake news'. Internamente temos problemas de armas, como é que vamos introduzir armas na Guiné-Conacri?", questionou.

"As pessoas têm de compreender que o Presidente da República Umaro Sissoco Embaló não é um Presidente assassino, nem um Presidente da desordem. Nós lutamos para voltar a fazer parte do concerto das Nações e a Guiné-Bissau não vai associar-se a nada que possa desestabilizar outro país", salientou.

Acusação grave

Entretanto, este sábado (24.10), o analista guineense Rui Landim considerou que a acusação feita à Guiné-Bissau pelas autoridades da Guiné-Conacri de facilitar a introdução ilegal de armas naquele país "é grave".

"O Ministério do Interior disse isso claramente. Estranha-me que aqui ninguém diz nada. Isto é grave, é uma acusação com gravidade, porque nenhum país já faz essas acusações a outro e ninguém diz nada", afirmou Rui Landim à agência Lusa.

Situação preocupante em Conacri

Vários confrontos entre apoiantes do candidato Celo Dalein Diallo e as forças de seguranças eclodiram segunda-feira em Conacri e em várias cidades da Guiné-Conacri, depois de aquele candidato se ter declarado vencedor das eleições presidenciais.

Este sábado (24.10), aComissão Nacional de Eleições Independentes anunciou os resultados provisórios globais das presidenciais de 18 de outubro, que dão vitória ao Presidente Alpha Condé.

Também na sexta-feira, o Presidente da Guiné-Bissau disse que está a acompanhar com "atenção" e "preocupação" a situação na Guiné-Conacri.

Assistir ao vídeo 00:20

Guiné-Bissau: Que lições tirar das últimas eleições presidenciais?

Leia mais