População rural de Moçambique com fraco acesso aos serviços financeiros | Moçambique | DW | 29.10.2014
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

População rural de Moçambique com fraco acesso aos serviços financeiros

Apenas pouco mais de 4% da população rural moçambicana tem acesso aos serviços financeiros formais. A Cooperação Alemã para o Desenvolvimento (GIZ) quer ajudar o país a inverter este quadro.

A Cooperação Alemã está preocupada com o fraco acesso aos serviços financeiros nas áreas rurais em Moçambique. Para mudar o atual cenário, a instituição quer aumentar a inclusão financeira em áreas rurais do país.

Para o efeito já foram estabelecidas parcerias com o Banco Central, com bancos comerciais e de microfinanças para aumentar a inclusão financeira.

GIZ Logo

GIZ está preocupada com o fraco acesso aos serviços financeiros nas áreas rurais em Moçambique

Nos últimos anos, o número de bancos cresceu em Moçambique, mas segundo Michael Troester, da GIZ, “a maioria dos moçambicanos permanece excluída do sector financeiro formal”.

Há várias razões para que a população rural não tenha acesso aos serviços financeiros, nomeadamente a falta de informação, os altos custos financeiros e questões legais.

“Em muitos casos a grande distância física, as instituições financeiras e os altos custos relacionados com a criação de uma rede densa de postos de venda ou de agências bancárias está a dificultar o acesso aos serviços financeiros tanto para os cidadãos como para as empresas”, sublinha Michael Troester.

Programa de educação financeira

Estão criadas todas as condições para que os moçambicanos tenham acesso a estes serviços, afirma Michael Troester. “Em abril de 2013, o Conselho de Ministros aprovou a estratégia para o desenvolvimento do setor financeiro com o objetivo de fortalecer, ampliar e aprofundar o mesmo", explica.

Mosambik Landwirtschaft

A maioria dos moçambicanos continua excluída do sector financeiro formal

Além disso, acrescenta, "o Banco de Moçambique desenvolveu uma estratégia nacional de inclusão financeira para complementar a estratégia do Governo e na semana passada (22.10) lançou um programa de educação financeira”.

A experiência brasileira de acesso aos financiamentos tem-se mostrado bem sucedida. O Banco Central brasileiro já tem uma estratégia de inclusão financeira, lembra Sérgio Gomes, diretor de Fiscalização daquele banco.

Em África novas abordagens permitem à banca chegar mais facilmente às zonas rurais. Em Moçambique serviços de dinheiro móvel como o MCASH são produtos financeiros móveis que a pouco e pouco estão a ganhar terreno.

Ouvir o áudio 02:30
Ao vivo agora
02:30 min

População rural de Moçambique com fraco acesso aos serviços financeiros

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados