Pesca ilegal de arrasto preocupa pescadores no Namibe | Sociedade | DW | 04.09.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Sociedade

Pesca ilegal de arrasto preocupa pescadores no Namibe

Comunidade de pescadores da Baía dos Tigres, na província angolana do Namibe, está preocupada com a crescente prática de pesca de arrasto.

Segundo os pescadores, a pesca de arrasto, considerada ilegal e proibida na costa angolana estaria a ser feita por navios estrangeiros, com destaque para a vizinha República da Namíbia. 

A situação coloca em risco a biodiversidade marinha e afeta diretamente os que dependem da pesca artesanal na região.

Abel Java – um dos pescadores locais, disse à DW África que "mete-nos medo à noite e às vezes alguns tripulantes não são angolanos”.

O pescador acrescenta ainda que não tem sido fácil a convivência com os pescadores estrangeiros na região. "Aquilo é um navio de porte mais alto e nós estamos de canoa, (...) tenho que ficar esperto se não [o navio] passa por cima de mim”, contou Java.

Angola | Fischerei in Namibe

Abel Java e Maurício Cassinda - pescadores em Namibe

Abel Java também teme pela biodiversidade marinha da região. "Onde passa o arrastão, o peixe já não come mais. O arrastão leva tudo, mas também o arrastão não deveria pescar aqui na costa”, considera Abel Java para que "a nossa costa é [para a] criação de peixe, é onde cresce o peixe. Nós não usamos muito a rede, porque temos pouca arte.”

Maurício Cassinda também é pescador artesanal no Namibe e aponta os riscos da pesca ilegal de arrasto na costa da província. "Tudo que aparece à frente o arrasto leva, todo material. Nós temos que estar ao lado, onde estamos a pescar, (...) senão o arrasto leva tudo.”

Apertar a fiscalização

Albino Ngombe Ongonga, chefe de segurança marítima da Capitania do Porto do Namibe, reconhece o fenómeno.

Segundo Ongonga muitas destas embarcações são industriais e praticam o arrasto durante a noite para burlar a fiscalização, mas garante apertar a fiscalização:

Angola | Fischerei in Namibe

Pequenas embarcações dos pescadores locais

"Alguns na calada da noite tentam fazer estas saídas não autorizadas, por isso estamos com um programa. Toda a embarcação que estiver na costa do Namibe terá que passar no posto de controlo”, diz Ngombe Ongonga.

Para já de acordo com Ongonga, "a partir deste mês de setembro, toda a embarcação que for ao mar tem que passar pelo controlo para termos o controlo do material e documentação”, concluiu.

"Dor de cabeça” diária

O chefe do departamento das Pesca do Namibe, Paulo Isidoro Numa, diz que a pesca ilegal de arrasto é "uma dor de cabeça” diária.

Sem querer gravar entrevista, Paulo Numa garantiu à DW África que o Governo está a criar condições para reforçar a fiscalização a fim de melhorar o controlo da costa. Uma das iniciativas é uma operação para dar fim a pesca de arrasto no período noturno. Numa pediu o apoio e a participação da comunidade na fiscalização.

Pescadores que forem apanhados a fazerem pesca de arrasto podem ter a embarcação apreendida e pagar uma multa.

Assistir ao vídeo 02:15

Pescadores denunciam lixo acumulado na orla de Luanda