1. Ir para o conteúdo
  2. Ir para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Foto: Getty Images/AFP/Z. Dosso

Protestos na Libéria para pedir melhorias económicas

tm | Evelyn Kpadeh | com agências
7 de janeiro de 2020

Milhares de liberianos saíram segunda-feira às ruas da capital, Monróvia, para protestar contra a corrupção e exigir que o Presidente George Weah tome medidas para melhorar a economia. Pelo menos uma pessoa ficou ferida.

https://p.dw.com/p/3Vo0f

Dezenas de membros da polícia de choque foram destacados para a capital e, ao início da noite, dispararam gás pimenta contra os manifestantes. A manifestação foi a segunda mais popular em menos de um ano contra a forma como George Weah, ex-jogador de futebol eleito Presidente da Libéria em 2017, está a lidar com os problemas económicos do país.

O Conselho dos Patriotas, que organizou o protesto, exige que Weah despeça toda a sua equipa económica. "Queremos que o Presidente tome medidas específicas para solucionar as questões que estão na base das nossas queixas. A economia, a corrupção e a cultura da impunidade: são esses os temas nos quais queremos que o Presidente trabalhe", disse Henry Costa, presidente do Conselho dos Patriotas e porta-voz dos manifestantes.

Protestos na Libéria para pedir melhorias económicas

A economia da Libéria declinou durante os dois anos de mandato de George Weah. São comuns os atrasos no pagamento de salários, os bancos já não podem emprestar dinheiro e há hiperinflação no preço de bens de primeira necessidade.

"Eu votei em George Weah, mas estou muito insatisfeita. Nada mudou, as coisas estão mesmo a piorar", lamenta Vivian Reeves, uma manifestante liberiana que, em 2017, votou em no ex-jogador de futebol.

Os manifestantes também pediram explicações sobre os 25 milhões de dólares (cerca de 22 milhões de euros) que o executivo de Weah retirou da reserva federal do país. Insatisfeito, o liberiano Abel Blackie questiona: "Há algum resultado sobre essas investigações?"

Condomínios e viagens geram críticas

George Weah também tem sido criticado por construir propriedades privadas - que englobam cerca de 50 condomínios - logo após ter tomado posse como Presidente, apesar dos seus apoiantes afirmarem que as construções foram feitas com o dinheiro pessoal do ex-jogador.

As viagens com comitivas extensas é outra das críticas apontadas ao chefe de Estado liberiano.

Nascido em Monróvia, em 1966, Weah foi o primeiro africano negro condecorado como melhor jogador de futebol do mundo pela FIFA, em 1995. Jogou em clubes como o Chelsea, AC Milan, Paris Saint-Germain e Manchester City antes de regressar, em 2003, ao país natal para se envolver na política.

O movimento de contestação queria inicialmente a demissão do Presidente, mas a população considerou que a atitude era antidemocrática e pediu que o chefe de Estado se responsabilize apenas pela fraca economia do país. 

Saltar a secção Conteúdo relacionado