Mali: Militares ocupam pastas-chave no Governo de transição | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 06.10.2020

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Mali: Militares ocupam pastas-chave no Governo de transição

Pelo menos quatro ministérios estratégicos - Defesa, Segurança, Administração Territorial e Reconciliação Nacional - são confiados aos militares. Presidente de transição do Mali nomeou um Governo de 25 membros.

Bah Ndaw, Presidente transitório do Mali

Bah Ndaw, Presidente transitório do Mali

A informação foi avançada num decreto lido esta segunda-feria (05.10) em direto na televisão estatal ORTM, pelo secretário-geral da Presidência, Sékou Traoré. Os militares ocupam pelo menos quatro ministérios estratégicos no novo Governo - Defesa, Segurança, Administração Territorial e Reconciliação Nacional.

A junta militar que derrubou o Presidente Ibrahim Boubacar Keita a 18 de agosto comprometeu-se a devolver o poder aos líderes civis eleitos após um período de transição de até 18 meses.

Assistir ao vídeo 04:18

Maliano regressado de França luta pelo seu sonho

Após a tomada de posse de Ndaw, coronel aposentado, como chefe de Estado a 25 de setembro, e de um vice-Presidente de transição que é o chefe da junta, coronel Assimi Goita, a nomeação deste gGoverno liderado por Moctar Ouane, diplomata de carreira, marca uma nova etapa no processo de transição.

O coronel Sadio Camara, um dos líderes da junta, torna-se ministro da Defesa. Sadio Camara foi diretor da escola militar de Kati, nos arredores de Bamako, onde se situa o campo militar onde começou o golpe.

O porta-voz da junta, o coronel Ismael Wagué, que anunciou na televisão a tomada de poder pelos militares, recebeu a pasta da Reconciliação Nacional.

Mais civis também foram nomeados neste novo Governo. De entre os ministérios regionais, o ex-Procurador Mohamed Sidda Dicko foi nomeado para o Departamento de Justiça. E o ex-embaixador Zeini Moulaye assume como ministro dos Negócios Estrangeiros.

Leia mais