Guiné-Bissau: Forças de ordem impedem a realização de conferencia na sede do PAIGC | NOTÍCIAS | DW | 05.02.2022

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Guiné-Bissau: Forças de ordem impedem a realização de conferencia na sede do PAIGC

A Guarda Nacional da Guiné-Bissau impediu este sábado (05.02), a realização de uma conferência de militantes do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) em cumprimento de uma decisão judicial.

 De acordo com fontes citadas pela Agência Lusa, um militante do PAIGC intentou uma providencia cautelar contra o partido, alegando ter sido injustamente excluído das listas de possíveis delegados ao décimo congresso que o partido vai realizar ainda este ano.

Adiantaram ainda que à luz do regulamento do décimo congresso, aquele militante não poderia ser selecionado nas bases por, alegadamente, ter-se afastado do PAIGC, ao filiar-se, entretanto, numa outra formação política, tendo regressado ao partido novamente.

O que dizem os regulamentos do partido?

Os regulamentos de congresso prevêem que só é selecionado para o congresso o militante que nos últimos quatro anos tenha estado nas estruturas do PAIGC "em pleno exercício de militância, o que não é o caso deste camarada", explicou à Lusa um elemento do secretariado do partido.

O militante em causa não concordou que o seu nome não tenha sido escolhido nas bases do PAIGC do círculo 25 em Bissau, intentou uma providencia cautelar que o Ministério Público deu provimento.

O partido preparava-se para realizar hoje na sua sede nacional na capital guineense a conferência para escolha final de delegados do Setor Autónomo de Bissau, como fez nas estruturas das regiões e foi impedido. 

Recurso ao tribunal

Um contingente da Guarda Nacional impediu a realização da conferência alegando cumprimento de uma ordem do Ministério Público. 

As mesmas fontes do PAIGC disseram à Lusa que na segunda-feira os advogados do partido "irão atacar a decisão" no tribunal. 

As fontes precisaram que não se registaram incidentes entre as forças de ordem e os militantes do PAIGC que se encontravam na sede do partido, situado a escassos metros do palácio da presidência do país.

18 meses de golpes e tentativas de golpe na África Ocidental

Leia mais