Guiné-Bissau: Carlos Gomes Júnior anuncia candidatura presidencial | Guiné-Bissau | DW | 13.07.2019

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Guiné-Bissau

Guiné-Bissau: Carlos Gomes Júnior anuncia candidatura presidencial

Ex-primeiro-ministro da Guiné-Bissau anunciou, este sábado (13.07), que será um candidato independente nas próximas eleições presidenciais, marcadas para 24 de novembro.

Portugal Guinea Bissau Carlos Gomes Junior in Lissabon

Carlos Gomes Júnior

Perante uma plateia de algumas dezenas "camaradas", Carlos Gomes Júnior anunciou que irá lançar-se oficialmente à corrida pelo cargo de chefe de Estado da Guiné-Bissau.

Vídeos que circulam nas redes sociais, mostram parte da cerimónia em que "Cadogo", como é vulgarmente conhecido no país, confirmou seu retorno ativo ao cenário político do país.

"Depois de cogitações e hesitações, aqui está o vosso 'Cadogo' de volta," disse.

Referindo-se ao período em que esteve exilado em Portugal e ao seu antigo partido, o Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), disse: "Desde que cheguei, a atual direção do PAIGC desconhece a presença do ‘Cadogo' em Bissau".

Cipriano Cassamá

Cipriano Cassamá

Em seguida, o político guineense acrescentou, "por isso, serei um candidato independente. Serei um candidato do povo da Guiné-Bissau".

Gomes Junior garantiu que irá apresentar brevemente o lançamento da sua candidatura oficial. "Neste documento, deixarei plasmadas as principais ideias sobre a minha visão do país, a minha estratégia e ideias de cooperação com outras entidades e instituições e a essência da minha candidatura presidencial," descreveu.

"Vou para esta batalha com a profunda convicção de que em primeiro lugar estão o nosso país, a nossa democracia, o nosso sistema político e as condições de vida do guineense," concluiu.

A candidatura de 'Cadogo' surge depois que, na passada quarta-feira (10.07), o presidente da Assembleia Nacional Popular, Cipriano Cassamá, anunciou sua candidatura às presidenciais e prometeu convidar o presidente do PAIGC, Domingos Simões Pereira, para o cargo de primeiro-ministro.

Carlos Gomes Júnior liderou o PAIGC durante 12 anos seguidos. O ex-primeiro-ministro, deposto no golpe militar em abril de 2012, retornou a Bissau em janeiro de 2018, depois de cinco anos de asilo político em Portugal.

A candidatura surge num momento em que voltou ao debate o caso do alegado desvio dos 12 milhões de dólares (cerca de 10,68 milhões de euros) oferecidos à Guiné-Bissau por Angola, em 2011, quando ‘Cadogo’ liderava o executivo guineense.

 

Leia mais