FACIM: Empresários alemães interessados no setor dos hidrocarbonetos | Moçambique | DW | 31.08.2018

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

FACIM: Empresários alemães interessados no setor dos hidrocarbonetos

Empresas alemãs, algumas lideradas por moçambicanos residentes na Alemanha, tentam fazer negócios com as multinacionais que operam no setor de gás e carvão. Trata-se de empresas que participam na FACIM, em Moçambique.

Pavilhão da Alemanha na FACIM, a Feira Comercial de Moçambique

Pavilhão da Alemanha na FACIM, a Feira Comercial de Moçambique

A indústria de carvão e gás em Moçambique tem atraído as empresas alemãs. Algumas das empresas que participam na FACIM dizem que já estão em marcha contactos com a petrolífera Anadarko, a empresa de alumínio MOZAL e a mineradora Vale Moçambique, entre outras, para a prestação de serviços.

Por exemplo, a empresa Secureman, que se dedica à produção de pictogramas luminosos para garantir a segurança no trabalho, referiu que as parcerias estão em fase avançada.

O diretor Custódio Tamele, que reside na Alemanha, diz também que contactou empresas nacionais de produção de energia elétrica: "Principalmente a Hidroelétrica de Cahora Bassa (HCB) e a Anadarko, já contactámos, e eles ficaram de nos dar resposta, e fizemos contactos com algumas empresas japonesas, que mostraram interesse no nosso material, que estão na construção do porto de Nacala e de uma escola na província de Nampula."

Ouvir o áudio 02:30

FACIM atrai empresariado da Alemanha

Custódio Tamele diz ainda que há uma aposta na produção local. "É a nossa intenção e a intenção da empresa-mãe na Alemanha de fazermos parcerias e que, localmente, sejam feitos alguns trabalhos e que não seja imperioso que sejam feitos a partir da Alemanha."

Formação é essencial

O empresário Leonardo Cumbe, também residente na Alemanha, está igualmente na FACIM à procura de parcerias. A sua empresa, a Higel Kältetechnik, produz gelo em escama recorrendo a máquinas amigas do ambiente, que poupam energia.

Cumbe também está interessado em fazer contactos com empresas no setor do gás e carvão, mas faz um apelo às autoridades moçambicanas.

"É necessário que formemos quadros com capacidades para saber o que estão a vender e como vender. É bom vender, é um passo, mas, se não tivermos gente formada, teremos gente que vai determinar sobre sobre nós, e este é o maior perigo", alerta o empresário. 

Deutschland DHL Paketzusteller

DHL é uma das maiores empresas da Alemanha

Procurando contactos

A empresa de encomendas e de logística DHL, uma subsidiária da Deutsche Post, também está presente na FACIM. Segundo o seu representante, Carlos Vaz, as parcerias com as empresas mineradoras em Moçambique já existem e são para continuar.

"Fazemos muitos envios de fora para as províncias no norte, onde estão as empresas que operam no setor de carvão e gás. Nós temos contratos com essas empresas para enviarmos os documentos."

A Alemanha participa nesta edição 54ª da Feira Agropecuária, Comercial e Industrial de Moçambique (FACIM) com dez empresas, que atuam em diferentes ramos de produção. A feira fecha as portas no domingo, 2 de setembro.

Leia mais