Angola: João Lourenço é o único candidato à liderança do MPLA | Angola | DW | 09.11.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Angola

Angola: João Lourenço é o único candidato à liderança do MPLA

Membro de subcomissão preparatória diz que líder do MPLA, João Lourenço, é o único candidato à sua sucessão no congresso do partido marcado para dezembro. António Venâncio não terá formalizado a candidatura ao cargo.

João Lourenço, Presidente de Angola, é o único candidato à sua sucessão na liderança do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA). A informação foi avançada esta terça-feira (09.11) por Joaquim Miguéis, membro da subcomissão de candidaturas da Comissão Nacional Preparatória do VIII congresso ordinário do partido no poder, marcado para 9, 10 e 11 de dezembro.

Miguéis referiu que o período de submissão de candidaturas decorreu entre 20 de outubro e 5 de novembro, tendo neste período registado a apresentação de uma única candidatura ao cargo do presidente do MPLA. 

Segundo estas declarações de Joaquim Miguéis, António Venâncio - que afirmou recentemente temer que a sua candidatura fosse alvo de incomprensão dentro do MPLA - não terá formalizado a sua intenção de concorrer à cúpula da força partidária no poder.

Angola | Mitglied der MPLA António Venâncio

António Venâncio anunciou intenção de se candidatar à liderança do MPLA

Segundo Joaquim Miguéis, em 27 outubro a subcomissão rececionou a candidatura do militante João Manuel Gonçalves Lourenço, representado pelo seu mandatário Pedro de Morais Neto. 

A subcomissão de candidaturas procedeu à análise da conformidade da candidatura na segunda-feira (08.11), tendo validado a capacidade eleitoral ativa de João Lourenço, "por não estar abrangido por qualquer inelegibilidade ou incompatibilidade nos termos do artigo 103 dos estatutos do MPLA". 

 "A candidatura apresentou 21.890 assinaturas de militantes em pleno gozo dos seus direitos estatutários, a formalização da candidatura fez-se acompanhar da respetiva moção de estratégia, respeitando a exigência estatutária consagrada no n.º 1 do artigo 105 dos estatutos do MPLA", referiu Miguéis. 

O dirigente do MPLA adiantou que o período de campanha eleitoral vai decorrer de 23 de novembro a 07 de dezembro. 

Assistir ao vídeo 01:11

Que influência terá José Eduardo dos Santos no atual cenário político angolano?

Leia mais