1. Ir para o conteúdo
  2. Ir para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Lucas Quilundo,  porta- voz da CNE
Foto: A. Cascais/DW

CNE: MPLA vai na frente da contagem dos votos

25 de agosto de 2022

A CNE divulgou esta madrugada os primeiros resultados provisórios das eleições gerais desta quarta-feira (24.08), que dão vantagem ao MPLA com 60,65% dos votos, seguido da UNITA com 33,85%.

https://p.dw.com/p/4G09M

De acordo com o porta-voz da Comissão Nacional Eleitoral (CNE), Lucas Quilundo, os resultados provisórios divulgados na madrugada desta quinta-feira (25.08) correspondem a um total de 33,16% dos votos apurados.

Os resultados apontam para 60,65% para o Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), partido no poder, e 33,85% para a União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA).

Os outros partidos concorrentes ainda não conseguiram ultrapassar a barreira dos 2% dos votos, conforme as projeções apresentadas pela CNE.

A UNITA, em conferência de imprensa, já desmentiu os dados apresentados pela CNE.

Angola Abel Chivukuvuku, Adalberto da Costa Júnior und Justino Pinto de Andrade
Abel Chivukuvuku, reagindo os resultados provisórios anunciados pela CNEFoto: Borralho Ndomba/DW

Abel Chivukuvuku, vice-cabeça de lista do partido, diz que a UNITA e o seu candidato Adalberto Costa Júnior estão com uma ligeira vantagem. 

"Os nossos centros de escrutínio e os dados que estão a ser avaliados com actas síntese que estão a ser amplamente partilhadas nas redes sociais, dão claros indicadores provisórios de uma tendência de vitória da UNITA em todo país", afirmou Chivukuvuku, para quem o "Galo Negro" também está a "cantar alto" na diáspora.

"Só em Berlim, na Alemanha, e Joanesburgo, na África do Sul, é que o MPLA está em vantagem, nos restantes países a UNITA está na frente da contagem", disse.

Confiança e tranquilidade

Por outro lado, o também mentor do projeto Político PRAJA-Servir Angola, integrante da Plataforma Frente Patriótica Unida (FPU), disse não estar preocupado com os dados avançados pela CNE.

"Nós apenas estamos a apresentar os indicadores dos dados que temos, da mesma maneira que provavelmente a CNE está a dar também indicadores dos dados que supostamente tem e não é nada definitivo", sublinhou o também candidato a vice-Presidente da República de Angola.

Angola Wahlen Cabinda
Eleições gerais em AngolaFoto: Simão Lelo/DW

Para já, ainda não é o momento de cantar vitória, mas Abel Chivukuvuku sublinhou que a UNITA está tranquila e confiante na vitória.

Manipulação?

Na noite desta quarta-feira, a Televisão Pública de Angola publicou uma suposta sondagem de tendência de votos que dava vitória ao MPLA com 53% contra 42% da UNITA.

Reagindo este facto, Abel Chivukuvuku lembrou que a lei angolana é clara. Nos dias de votação não se pode publicar sondagens porque "não só é ilegal, é falso e é manipulação".

Nos últimos dias, subiram de tom os temores de uma tensão pós-eleitoral. No entanto, Abel Chivukuvuku prefere ser mais otimista. 

"Ninguém está interessado em distúrbios. Tem que ser pacífico. Temos todos interesse para que tudo corra bem. O mais importante é que respeitemos a vontade do cidadão angolano e depois façamos uma transição pacífica", concluiu.

Angola Eleições 2022: O Dia do Voto

Saltar a secção Mais sobre este tema
Saltar a secção Conteúdo relacionado