Angola: Ativista dos 15+2 Hitler ″Samussuku″ posto em liberdade | NOTÍCIAS | DW | 13.05.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Angola: Ativista dos 15+2 Hitler "Samussuku" posto em liberdade

O jovem foi acusado pela Procuradoria-Geral da República por crime de ultraje contra Presidente da República, João Lourenço, e está sob termo de identidade e residência enquanto decorre o processo.

Angola befreite Aktivisten - Hitler Jessy Chivonde & Familie (DW/P. Borralho)

Ativista Hitler Samussuku e familiares no dia da soltura dos 15+2 em julho de 2016, em Luanda

O ativista cívico angolano Hitler Jessy Tshikonde "Samussuku" detido a última sexta-feira (10.05.), em Luanda, já está em liberdade.

O jovem foi acusado pela Procuradoria-Geral da República de crime de ultraje contra Presidente da República, João Lourenço, está agora sob termo de identidade e residência enquanto decorre o processo.

Depois de passar o final de semana numa cela dos Serviços de Investigação Criminal (SIC) na capital angolana, Hitler Jessy Tshikonde Samussuku passará a apresentar-se periodicamente na Direção Nacional de Investigação e Ação Penal (DNIAP).

A informação foi avançada pelo seu advogado Zola Mbambi, no final de um interrogatório ocorrido na DNIAP.

"Apesar de estar em liberdade, o ativista foi-lhe aplicado uma medida de coação menos gravosa", afirma o seu defensor.

"A princípio foi acusado de atentado e ultraje contra o Presidente da República num crime contra a segurança do Estado. Em sede da DNIAP foi uma audição que respeitou todos os direitos e garantias que cabia ao Hitler e sendo assim, no final, foi-lhe dado o que era esperado por nós: termo de identidade e residência”.

Razões da detenção

Ouvir o áudio 02:46

Angola: Ativista dos 15+2 Hitler "Samussuku" posto em liberdade

Em causa está a publicação de um vídeo, na semana passada em que, o ativista pronuncia palavras consideradas pelas autoridades de "ultrajantes”.

Extratos do vídeo - "Você está a prender os meus "tropas” (amigos) por causa de manifestação? Wi (amigo) se mete a pau. O José Eduardo dos Santos que tinha mais segurança e poder que você, tiramos-lhe. Você connosco não é ninguém, só tem dois anos, ele tinha 32 anos quando começamos a combater-lhe. É preciso então se concentrar, João Lourenço, nós não queremos problemas contigo, você é que está a começar. Está a prender os meus (tropas)!”

Os seus amigos referidos no vídeo são Arante Kuvuvu e Jeremias Benedito ambos do conhecido processo dos "15+2” bem como Etukid Scotte entre outros. Os ativistas foram detidos no princípio deste mês quando participavam numa manifestação de repúdio contra o Presidente do Conselho de Administração do banco BIC (Banco Internacional de Crédito) por supostamente ter- se apropriado de terrenos de uma família na província angolana do Kwanza-sul.

Defesa vai analisar o vídeo

A defesa vai estudar o vídeo feito pelo seu constituinte, explica Zola Mbambi.

 Zola Bambi Anwalt (DW/B. Ndomba)

Advogado angolano, Zola Bambi.

"A investigação considera que dentro do vídeo estejam palavras consideradas à margem daquilo que é permitido ou não. É uma questão que vamos levar em análise durante o processo para podermos apurar se crime ou violação existe em que podia se atingir a esfera de Sua Excelência o Presidente da República. Poderia haver uma expressão não compreendida. Mas crime como tal e a forma como o SIC instruiu o processo não”.

Recorde-se que não é a primeira vez que Hitler "Samussuku”, ativista cívico de 29 anos, implica-se em processo que envolve um Presidente da República.

Em 2015, fez parte de um grupo de jovens ativistas detidos, na Vila Alice, em Luanda, acusados de tentativa de golpe de Estado contra o ex-presidente angolano José Eduardo dos Santos quando se encontravam a interpretar o livro do norte-americano gene Sharp intitulado "Da Ditadura a Democracia”. Foi libertado em 2016, depois da entrada em vigor de uma lei de amnistia.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados